Esporte

Esportes

Mesmo fora da disputa da Copa das Confederações, o Brasil foi lembrado duas vezes na cerimônia de encerramento da competição, em São Petersburgo, neste domingo (2). O país foi homenageado com danças típicas, por ser um dos campeões do torneio, e ainda teve Ronaldo entregando em campo com a taça que será entregue ao campeão mais tarde. Ronaldo percorreu o gramado nos instantes finais da cerimônia carregando o troféu que ficará com o Chile ou com a Alemanha, que decidirão a Copa das Confederações a partir das 15 horas (horário de Brasília) - mais cedo Portugal garantiu o terceiro lugar ao vencer o México por 2 a 1, na prorrogação. Antes da entrada do ex-atacante da seleção brasileira, a cerimônia reservou homenagens a todos os países que já foram campeões do torneio-teste da Copa do Mundo. O Brasil, por ser o maior campeão, com quatro títulos, recebeu a homenagem mais longa, na qual dançarinos usavam temáticas locais para lembrar o país. No caso brasileiro, o tema foi o carnaval. No começo da cerimônia, os russos lembraram referências nacionais da futura sede da Copa, como o balé e danças típicas. Além disso, o evento contou com a presença do mascote do Mundial. TITE - Presente na Rússia na reta final da Copa das Confederações, o técnico Tite lamentou mais uma vez não poder estar com a seleção na competição. "Eu me sinto um pouco fora. É diferente ver o jogo daqui [de cima]. Eu preferia estar ali, na beira do gramado", brincou o treinador, em entrevista ao canal Sportv. Tite e o coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, apostaram em vitória do Chile na final deste domingo. Ambos estão na Rússia para acompanhar as partidas das semifinais e da final e também para escolher a futura sede brasileira na Copa de 2018. Nos últimos dias, eles visitaram diversas cidades, conheceram centros de treinamento e hotéis. "Temos muita coisa ainda a serem discutidas. Gostaria de definir isso o quanto antes", declarou Edu, sem estabelecer um prazo certo para a escolha da cidade.

 

 

Fonte: Hojeemdia

O Cruzeiro acabou com a sequência vitoriosa do Santos como mandante. Neste domingo, jogando na Vila Belmiro, o time comandado por Mano Menezes venceu por 1 a 0, interrompeu uma série de seis vitórias consecutivas dos donos da casa como mandantes e colou na ponta do Campeonato Brasileiro ao lado do Corinthians - ambos têm sete pontos e estão empatados em quase todos os critérios de desempate, mas os paulistas levam a melhor por ter menos cartões amarelos. Na próxima rodada do Brasileiro, o Santos terá o clássico contra o Corinthians. No sábado (3), o time de Dorival vai até a arena do rival, em duelo que será realizado às 19h (de Brasília). Já o Cruzeiro entra no campo do Mineirão no dia seguinte, no mesmo horário, para o segundo duelo desta semana com a Chapecoense. Isso porque, na quinta-feira, os times disputam a segunda partida das oitavas de final da Copa do Brasil, na Arena Condá - a Raposa venceu a primeira, por 1 a 0.

 

 

Fonte: G1

A vitória dessa quarta-feira sobre o Murici por 3 a 0, no Mineirão, pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil, ampliou o bom retrospecto do Cruzeiro na temporada 2017. Com 13 vitórias e um empate em 14 partidas, o clube celeste ostenta 95,2% de aproveitamento e é o único entre os 20 times da Série A do Campeonato Brasileiro que não perdeu em 2017. Os números incluem a goleada por 8 a 2 sobre o Brasília em amistoso de pré-temporada. Levando em conta apenas as partidas oficiais, o Cruzeiro dividia a condição de invicto com o Flamengo até essa quarta. O rubro-negro, porém, acabou sofrendo seu primeiro revés por competições – 1 a 0 para a Universidad Católica, do Chile, pela segunda rodada do Grupo 4 da Copa Libertadores. Antes desse jogo, o único tropeço do Fla havia sido no amistoso contra o Vila Nova-GO, do qual perdeu pelo mesmo placar em janeiro, no Serra Dourada. Ao avaliar a série de invencibilidade do Cruzeiro, o técnico Mano Menezes elogia os bons resultados, mas aponta que o time nem sempre foi brilhante em função do desgaste provocado pela sequência de jogos em curto prazo. “É bom não perder, conquistar vitórias, mesmo para questões que precisamos melhorar. É muito mais fácil melhorar com resultados positivos. Alguns dias atrás a gente se deparou com a seguinte situação, jogaríamos 11 jogos em 38 dias. Não tem como entregar um futebol brilhante. Você precisa entregar resultados e é isso que estamos resolvendo”, afirma o treinador, que está confiante em evolução ao longo do ano. “Já passamos um bom pedaço e queremos chegar no final e saber que fizemos bem. Depois, quando as coisas voltarem ao normal, poderemos oferecer um futebol de intensidade alta como já fizemos várias vezes esse ano”, acrescenta Mano. Em 14 apresentações, o Cruzeiro marcou 37 gols e sofreu apenas sete, o que mostra equilíbrio entre os setores ofensivo e defensivo. Com o objetivo de se manter em alta, a Raposa tentará estender suas marcas no próximo domingo, às 16h, contra o Tombense, no Mineirão, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro.

 

Jogos do Cruzeiro na temporada: Cruzeiro 8x2 Brasília – amistoso Villa Nova 1x2 Cruzeiro – Mineiro Cruzeiro 1x0 Atlético – Primeira Liga Cruzeiro 2x1 Tricordiano – Mineiro Cruzeiro 2x0 Chapecoense – Primeira Liga Tupi 0x4 Cruzeiro – Mineiro Volta Redonda 1x2 Cruzeiro – Copa do Brasil URT 1x1 Cruzeiro – Mineiro Cruzeiro 6x0 São Francisco-PA – Copa do Brasil Cruzeiro 2x1 Caldense – Mineiro América-TO 0x1 Cruzeiro – Mineiro Murici-AL 0x2 Cruzeiro – Copa do Brasil América 0x1 Cruzeiro – Mineiro Cruzeiro 3x0 Murici-AL – Copa do Brasil

 

Fonte: Superesportes

A CBF confirmou nesta sexta-feira que a seleção brasileira reencontrará a Alemanha, em amistoso marcado para o ano que vem no Estádio Olímpico de Berlim. O pedido vem do técnico Tite, que deseja enfrentar equipes de peso antes da Copa do Mundo da Rússia, e as duas federações marcaram o duelo para uma Data Fifa após a disputa das eliminatórias: dia 27 de março de 2018. Será o primeiro confronto entre os times principais dos dois países desde o 7x1 na semifinal do último Mundial. - Jogar contra uma seleção de alto nível, como a Alemanha, será uma prova fundamental para nossos atletas e comissão técnica. Ainda mais por se tratar de um jogo na casa do adversário e em um ano importantíssimo para nossa Seleção - disse o coordenador de Seleções, Edu Gaspar. Além do Brasil, a Alemanha, líder em seu grupo nas eliminatórias com 100% de aproveitamento, ainda faz outro amistoso de peso, quatro dias antes, com a Espanha em Duesseldorf. - As partidas contra Espanha e Brasil certamente vão oferecer um gostinho do que virá por aí na Copa do Mundo da Rússia, onde o time de Joachim Löw fará de tudo para defender o título - disse o presidente da Federação Alemã de Futebol, Reinhard Grindel. Como o Brasil disputa as eliminatórias para a Copa de 2018, na Rússia, tem uma overdose de partidas sul-americanas. A CBF gostaria de variar a escola de futebol dos times adversários para não “viciar” sua equipe num único estilo de jogo. Faltava encontrar uma data no calendário. Afinal, em 2017, haverá cinco períodos de 10 dias, reservados para jogos entre seleções: março, junho, fim de agosto e início de setembro, outubro e novembro. As eliminatórias europeias para o Mundial de 2018 têm rodadas agendadas para quatro desses cinco períodos. A Alemanha, por exemplo, fará um jogo em março, um em junho, dois em setembro e mais dois em outubro. O jeito, então, foi marcar o amistoso para o ano que vem. Desde o fatídico 7 a 1 em julho de 2014 no Mineirão, as seleções principais de Brasil e Alemanha não se enfrentaram mais. O único confronto entre os dois foi na final dos Jogos do Rio, no qual a equipe de Rogério Micale levou o ouro no pênalti, mas o duelo foi com as seleções olímpicas dos dois países.

 

 

Fonte: Globoesporte

O técnico Mano Menezes se assustou, viu sua equipe desperdiçando pontos no início do Campeonato Mineiro até os 40 minutos do segundo tempo, mas o atacante Ramón Ábila salvou o Cruzeiro. Contra o Tricordiano, no Mineirão, pela segunda rodada do Estadual, o argentino marcou dois gols, a Raposa venceu o Galo do Sul de Minas por 2 a 1 e manteve sua invencibilidade até aqui em 2017. O tento da equipe do interior foi marcado por Carrara.O técnico Mano Menezes decidiu pela escalação alternativa, somente com o zagueiro Léo e o goleiro Rafael como titulares contra o Tricordiano, já pensando na intensa sequência de partidas da equipe, que fará três jogos em sete dias. Além do duelo com o Galo de Três Corações, a Raposa terá pela frente, nesta quinta-feira (9), a Chapecoense, às 21h45, no Mineirão, em jogo da Primeira Liga. No sábado (11) o compromisso é contra o Tupi, em Juiz de Fora, no estádio Radialista Mário Helênio, pela terceira rodada do Campeonato Mineiro. Treinado por Edinho, filho do Rei Pelé, o Tricordiano veio ao Mineirão com uma formação audaciosa. Diferentemente do que acontece em jogos dos grandes da capital contra equipes do interior, o Galo de Três Corações foi armado com a linha de defesa “alta”. Essa é uma alternativa para diminuir o campo do adversário, mas estratégia perigosa, que em caso de falha deixa o setor defensivo muito exposto. E foi justamente isso que aconteceu na primeira grande chance da Raposa no jogo. A sorte dos visitantes é que o pé de Ramón Ábila estava descalibrado. Aos 17 minutos, o argentino recebeu passe açucarado de Mayke e ficou cara a cara com o goleiro Marcão. Apesar da ótima condição, o cruzeirense pegou mal na bola e desperdiçou chance claríssima de gol. Mas o grito de gol não ficou preso na garganta do torcedor celeste por muito tempo. Bastou o relógio girar dois minutos para que a China Azul comemorasse bastante no Gigante da Pampulha. Se na primeira ele vacilou, na segunda o Ábila não perdoou. Aos 19 minutos, Rafinha se esforçou para evitar a saída da bola pela linha de fundo. No lado direito do ataque estrelado, o camisa 70 fez o cruzamento e encontrou Ábila centralizado na área. O argentino esticou o pé e estufou as redes de Marcão: 1 a 0. "Infelizmente tomamos o gol, mas acho que nossa equipe se portou bem, foi uma desatenção que o Cruzeiro aproveitou e fez o gol, vamos ver o que o Edinho fala agora no intervalo pra gente melhorar e empatar esse jogo no segundo tempo". O intervalo até injetou certo ânimo no Tricordiano, mas faltava qualidade à equipe do Sul de Minas. Mesmo com a equipe praticamente reserva, o Cruzeiro mostrava mais qualidade em campo. O Tricordiano, quando chegava ao ataque, o fazia por erros individuais de um adversário melhor técnica e taticamente. Rafinha teve a oportunidade de ampliar aos 6 minutos, mas faltou a ele coragem para tentar uma cavadinha e, quem sabe, aproveitar que o goleiro Marcão estava adiantado. Mas o camisa 70, no lance ofensivo, preferiu tocar para Raniel, que chutou de primeira e o goleiro Marcão fez a defesa. Se faltava qualidade ao Tricordiano, sobrava vontade. E novamente em erros individuais celestes o Galo do Sul de Minas aparecia. Aos 11 minutos o goleiro Rafael fez ótima defesa e impediu o que poderia ser o gol do Tricordiano. Em cobrança de falta, Augusto tentou o ângulo direito do goleiro celeste, que fez bela “ponte” e colocou a bola para escanteio. Cozinhando o adversário, o Cruzeiro, mesmo superior, levava sustos. E se a superioridade estrelada não se transformava em gols, o adversário aproveitava. E de tanto tentar acabou conseguindo o seu gol. Aos 26 minutos, Lucas Vieira recebeu pelo meio, passou pelo zagueiro Léo e tocou para Carrara. O atacante entrou na área e com um toque por cima de Rafael empatou o jogo: 1 a 1. Com o gol sofrido o Cruzeiro partiu para o ataque, e o Tricordiano estava tranquilo com o resultado. Demorava a bater faltas, a recolocar a bola em jogo, dava chutões quando a bola sobrava na defesa. Se estava tranquilo e observando a partida do banco de reservas antes de sofrer o empate, o técnico Mano Menezes ficou mais agitado. Tentou mudar a equipe com as entradas de Robinho, Arrascaeta e Alisson, mas quem resolveu a parada mesmo foi o atacante Ramón Ábila. Aos 41 minutos o argentino acreditou na jogada e com a ponta da chuteira encobriu o goleiro Marcão: 2 a 1 e alívio para o Cruzeiro. CRUZEIRO 2 X 1 TRICORDIANO Motivo: Segunda rodada do Campeonato Mineiro Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG) Data: 05 de fevereiro, domingo Horário: 17h (horário de Brasília) Árbitro: Antônio Márcio Teixeira da Silva, auxiliado por Márcio Eustáquio Santiago e Helen Aparecida Gonçalves Araújo Cartões amarelos: Luis Felipe (TRI); Robinho (CRU) Cartões vermelhos: Não houve Gols: Ábila, aos 19 minutos do primeiro tempo e aos 41 do segundo tempo. Carrara, aos 26 minutos, do segundo tempo. Público Pagante: 4.612 Renda: 108.204,00 CRUZEIRO - Rafael; Mayke, Léo, Luis Caicedo e Bryan; Hudson (Alisson), Lucas Romero, Élber (Arrascaeta), Rafinha; Raniel (Robinho) e Ábila. Técnico: Mano Menezes TRICORDIANO – Marcão; Marcelo Tchê, Wescley, Augusto e Renan Luís; Rodrigo Paulista; Léo Bartholo, Luis Felipe, Léo Cordeiro (Rivaldo) e Dinélson (Carrara); Rodriguinho (Lucas Vieira). Técnico: Edinho

 

Fonte: Hojeemdia

Página 1 de 2

Notícias mais lidas

Quem Somos

A Radio Nocaute tem como principal meta, tocar os sucessos mais antigos em sua programação, não deixando é claro de tocar os sucessos da atualidade. Nossa programação é feita com 60% de músicas antigas. Trabalhamos com muito carinho para oferecer uma programação diferenciada aos nossos ouvintes.
Saiba mais

 

Nossa Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades e promoções em seu e-mail!

Siga-nos pelo Facebook