Esporte

Esportes

Depois do susto e da comoção que causou na torcida, ao sair chorando muito e de cadeira de rodas, após machucar o tornozelo direito durante a apresentação de sua série de solo, na prova de individual geral, Jade Barbosa está bem mais tranquila. O exame de ressonância feito nesta sexta-feira não acusou lesão grave e a ginasta até consegue andar sem mancar muito. O trabalho de fisioterapia já começou e será feito em três sessões diárias. Neste sábado, ele mostrou uma foto do tornozelo, ainda bem inchado, e mandou uma mensagem tranquilizadora.. - Está grande ainda, mas eu estou bem melhor.... obrigada a todos pelas mensagens de carinho - escreveu, através do Instagram. Durante a apresentação de sua série de solo na última quinta, sentiu dores no tornozelo direito, levou as mãos ao local e não pôde concluir a coreografia. A ginasta não conteve as lágrimas e deixou a disputa da ginástica artística antes do fim. Ela também precisou de ajuda de uma cadeira de rodas para deixar a área de competição (assista no vídeo abaixo). Pouco antes de decidir encerrar a prova, a brasileira havia sofrido um desequilíbrio após sua acrobacia.

 

 

 

Fonte: Globoesporte

A primeira noite depois da conquista do ouro olímpico foi de apenas quatro horas de sono para Rafaela Silva. A judoca chegou à Vila Olímpica às 4 horas da manhã, após intensa agenda de compromissos. Às 8h, já estava de pé para mais um dia cheio. Mas a correria de uma campeã olímpica não incomoda. "Onde eu passo tem um monte de gente batendo palma, agradecendo, gritando meu nome", contou ela. "Acordei com uma sensação de satisfação e alívio". A judoca recebeu a reportagem do jornal O Estado de S.Paulo para uma conversa no fim da tarde desta terça-feira (9), em um hotel na zona sul do Rio. Na TV, ela acompanhava o quarto dia de competições de judô. Bem disposta, Rafaela curtia o seu momento, mas se mostrou espantada com o reconhecimento que tem sentido nas ruas. "Eu esperava que com uma medalha eu fosse ser reconhecida, mas não da maneira como estou sendo. O povo brasileiro está me acolhendo, demonstrando carinho por mim, o reconhecimento pela minha conquista, da minha história. É muito importante para a minha carreira", afirmou Rafaela. A campeã olímpica disse que está aliviada com a medalha. "Quando acordei, tive uma sensação de satisfação e alívio. Pude realizar meu sonho dentro da minha cidade e do meu País, e pude passar para todas essas crianças da comunidade (Cidade de Deus) que eu saí de lá, acreditei, tive oportunidade e aproveitei. Hoje eu conquistei o mundo", comentou. Ela revelou também que tirou dinheiro do próprio bolso para que toda a família e judocas que lhe ajudaram na preparação fossem assistir suas lutas. "A gente só recebeu dois ingressos (comprados pelo COB), e na minha casa moram seis pessoas. Além disso, cada atleta que foi para a Olimpíada tinha outros cinco para ajudar no treinamento - eu tinha um alto, um baixo, um destro e um canhoto -, e só uma que poderia estar comigo na área de aquecimento (da arena)", explicou. "Só que todo mundo participou e me ajudou, e eu acho que eles mereciam estar comigo naquele momento. Eu comprei ingressos para eles assistirem, estarem lá perto. O ingresso não era barato, mas valeu a pena." Rafaela Silva agora está na expectativa para a próxima visita à Cidade de Deus, favela onde nasceu e deu seus primeiros golpes no judô. "Tenho alguns familiares que moram lá, mas é difícil eu ir, porque tem muito treinamento e competição. Quando não estou viajando ou competindo, fico mais em casa", contou. "Não faço nem ideia de como vai ser. Eu estou sendo bem recepcionada em todos os lugares que eu passo, e sendo onde ainda vive gente da minha família vai ser bem especial."

 

 

Fonte: Otempo

Domingo, 07 Agosto 2016 08:14

Seleção Brasileira Feminina dá Show

Domínio na etapa incial. O Brasil já começou impondo o seu jogo desde o começo. Com bolas de Marta pela direita, a seleção insistia no setor ofensivo sem dar espaço para o contra-ataque da Suécia. Na oportunidade que as adversárias tiveram, Bárbara fez bela defesa. Em seguida, aos 20 minutos, Bia recebeu lançamento e usou sua principal característica. No jogo de corpo, tirou da defensora e mandou para as redes. Logo depois, a Suécia levou perigo. Chegou a marcar, mas a árbitra anulou. O susto empurrou ainda mais a equipe brasileira. Aos 24, Cristiane fez um golaço de letra dentro da grande área. A camisa 11 queria mesmo jogo. Aos 43, sofreu um pênalti. Marta chutou no canto direito para decretar o 3 a 0 nos 45 minutos iniciais. As meninas não diminuíram o ritmo, mas sofreram um golpe. Aos 20 minutos, Cristiane ficou caído no gramado após uma arrancada, com a mão na coxa direita. Deixou o campo apoiada, chorando e recebeu os aplausos da torcida. Em campo, mais dois gols para não dar brechas às suecas: Marta e Bia, assim como no primeiro tempo, usaram da técnica para decretar a vitória. Schelin ainda descontou no fim, mas nada que diminuísse o volume da festa da torcida nas arquibancadas. Com o gol marcado sobre a Suécia, Cristiane se tornou a maior artilheira da história do futebol olímpico - contando homens e mulheres. São 14 gols em 15 partidas por quatro edições diferentes dos Jogos. O recorde feminino já era de Cristiane. O masculino pertencia ao dinamarques Sophus Nielsen, autor de 13 gols nas edições de 1908 e 1912. No segundo tempo, porém, a atacante deixou o campo machucada e preocupa o Brasil. A torcida brasileira compareceu em bom número ao Engenhão neste sábado e fez a festa nas arquibancadas. Teve a tradicional ''Ola'', gritos de ''Olé'' ainda no primeiro tempo - quando o Brasil já vencia por 3 a 0 - e até uma comparação: ''Ahhhh... A Marta é melhor que o Neymar'', gritaram os torcedores. A camisa 10 e cinco vezes melhor jogadora do mundo teve atuação de destaque: uma assistência e dois gols.

 

Fonte: Globoesporte

Os atletas brasileiros foram oficialmente recepcionados na manhã deste domingo (31), na Vila Olímpica. Mais de 100 convidados participaram do evento, entre funcionários do Ministério Esporte, Forças Armadas e Comitê Rio-2016. A festa terminou com samba e muita dança. Entre os cerca de 60 competidores brasileiros presentes no local, um dos destaques foi o atleta do hóquei na grama, Bruno Mendonça, atleta-militar que prestou continência durante toda a execução do Hino Nacional. Ele é sargento da aeronáutica. "Acho completamente normal. É uma maneira de mostrar respeito ao país, à bandeira e até aos nossos adversários", comentou Bruno. A cerimônia ainda teve um momento em que todos cantaram o Hino à capela, gesto que ficou famoso na Copa do Mundo de 2014. O humorista Fábio Porchat, um dos padrinhos do Time Brasil, participou da celebração. O prefeito do Rio Eduardo Paes também esteve no local e se vestiu como os atletas, com um agasalho da delegação brasileira. A cerimônia de apresentação dos atletas brasileiros na Vila Olímpica foi um pouco diferente de outras delegações, quando participaram da celebração apenas os atletas e membros da equipe. A principal delas foi a realização de todos os discursos em português.

 

 

Fonte:  Bol

Sábado, 09 Julho 2016 13:01

Casagrande se diz satanista

Ex-jogador e comentarista esportivo revelou que "sempre foi admirador de lúcifer" e que era atraído por demônios

 

O ex-atacante e comentarista esportivo da "TV Globo", Walter Casagrande, fez revelações polêmicas enquanto participava do programa "Morning Show" da "Rádio Jovem Pan". Ao ser questionado o que significava um anel de caveira que ele usa, Casagrande revelou que "sempre foi admirador de lúcifer". Assista ao video com o trecho completo:

 

 

 

Fonte: IG

 

 

Página 2 de 3

Notícias mais lidas

Quem Somos

A Radio Nocaute tem como principal meta, tocar os sucessos mais antigos em sua programação, não deixando é claro de tocar os sucessos da atualidade. Nossa programação é feita com 60% de músicas antigas. Trabalhamos com muito carinho para oferecer uma programação diferenciada aos nossos ouvintes.
Saiba mais

 

Nossa Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades e promoções em seu e-mail!

Siga-nos pelo Facebook