• Whatsapp:
  • (33)9.9913-6056

Portuguese English Spanish
  • 1

    1

  • 2

    2

  • 3

    3

Diego Maradona morre na Argentina aos 60 anos

Maior jogador da história da Argentina e lenda do futebol mundial, Diego Armando Maradona morreu nesta quarta-feira (25) aos 60 anos.

O craque argentino sofreu uma parada cardiorrespiratória em sua casa na cidade de Tigre, na região metropolitana de Buenos Aires. Conhecido como "El Pibe de Oro", o jogador passou por uma delicada cirurgia no cérebro no começo do mês e recebeu alta oito dias depois, após drenar uma pequena hemorragia cerebral. 

O médico Leopoldo Luque afirmou na ocasião que a cirurgia era considerada simples, mas havia preocupação pela condição de saúde do ex-jogador. 

O governo da Argentina declarou luto oficial de três dias após a morte de Maradona. Ele deixa três filhas (Dalma, Gianinna, Jana) e dois filhos (Diego e Diego Fernando) — e uma trajetória de sucesso no futebol: venceu a Copa do Mundo de 1986 com a seleção argentina e foi vice em 1990. Passou por grandes clubes, como Boca JuniorsBarcelona e Napoli, e fez carreira como técnico, inclusive dirigindo a equipe nacional na Copa de 2010.

Campeão mundial na Copa do Mundo de 1986, quando ficou eternizado pelos dois gols que marcou contra a seleção da Inglaterra nas quartas de final, Maradona era reverenciado e tratado como Deus na Argentina.

Seu gol de mão contra a Inglaterra ficou mundialmente conhecido pela "mão de Deus". O outro tento, em que Maradona driblou metade do time (inclusive o goleiro), foi eleito pela Fifa em 2002 como o mais bonito da história das Copas do Mundo.

Maradona também jogou as Copas de 19821990 1994. Em 1990, ele e Caniggia fizeram a jogada que eliminou a seleção brasileira nas oitavas de final. Em 1994, foi pego no exame de antidoping e cortado da seleção argentina.

 

Fonte:  G1

 

 

Pompeo diz ter provas que vírus surgiu em laboratório chinês

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, afirmou neste domingo (3) que existem "muitas evidências" de que o novo coronavírus (Sars-CoV-2) foi criado no laboratório de virologia de Wuhan, na China, onde o surto da doença teve início. Apesar da declaração, o americano não apresentou nenhuma prova e não comentou se o vírus teria sido liberado intencionalmente. A acusação, no entanto, é negada pelo governo chinês e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença tem origem natural. "Há uma enorme quantidade de provas de que foi ali que começou", disse Pompeo, durante entrevista à ABC. Segundo ele, a China "fez todo o possível para garantir que o mundo não soubesse em tempo hábil" sobre o coronavírus. "Este é um esforço clássico de desinformação comunista", acrescentou. Pompeo ainda explicou que a inteligência dos Estados Unidos está recolhendo provas de que o vírus foi elaborado pelo homem. "Os melhores especialistas até agora parecem pensar que foi feito pelo homem. Não tenho motivos para não acreditar nisso neste momento".

 

Fonte: Terra

Pandemia do novo coronavírus faz economia da China encolher

A economia da China registrou a primeira contração em quase 30 anos. O Produto Interno Bruto (PIB) do gigante asiático desabou 6,8% no 1º trimestre, na comparação com o mesmo período do ano passado, confirmando os efeitos causados pela pandemia do novo coronavírus que parou o país no início de 2020. É a primeira queda desde ao menos 1992, quando dados trimestrais oficiais do PIB começaram a ser publicados no país. Em termos anuais, a última vez que a China registrou ma contração do PIB foi em 1976, no fim da Revolução Cultural. Na comparação com o trimestre anterior, o PIB caiu 9,8% nos três primeiros meses do ano, informou a Agência Nacional de Estatísticas. "Os dados do PIB do primeiro trimestre ainda estão amplamente dentro das expectativas, refletindo as perdas da paralisação econômica quando toda a sociedade estava isolada", disse Lu Zhengwei, economista-chefe do Industrial Bank. Em um esforço para conter a propagação do vírus, que causou oficialmente mais de 3.300 mortes no país, a China adotou medidas de contenção sem precedentes no final de janeiro que impediram a movimentação de trabalhadores, fecharam fábricas e lojas e afetaram duramente a economia.

 

Fonte: G1

Suspeitos de matar brasileira nos EUA usaram vídeos de crime para extorquir parentes

Os dois homens presos no dia 22 de fevereiro, em Vitória, suspeitos de matar uma mulher nos Estados Unidos, usaram vídeos do crime para extorquir os próprios familiares. Reportagem do Fantástico mostra que eles utilizaram também fotografias e áudios do assassinato de Ana Paula Feitosa dos Santos Braga, de 24 anos. De acordo com a Polícia Federal, Thiago Philipe Souza Bragança e Walderson Junior da Silva confessaram o crime. O caso é investigado pela Polícia Federal e o corpo da jovem ainda não foi encontrado. Ana Paula morava em Los Angeles e estava desaparecida desde o começo de fevereiro. Para a Polícia Federal, Thiago e Walderson mataram a jovem estrangulada com um fio de energia. Depois, enrolaram corpo em um colchonete e colocaram no porta-malas do carro dela. Vídeos também mostram que, após o assassinato, eles zombaram da vítima e mostraram o celular dela. Uma denúncia chegou à Polícia Federal, que analisou imagens das câmeras de segurança perto do prédio de Ana Paula. A polícia viu que, no dia do crime, ela entrou no prédio com dois homens e depois de algumas horas eles desceram carregando apenas o edredom, usado para esconder o corpo. Após o crime, os suspeitos abandonaram o carro de Ana Paula e foram para o México, de ônibus. Lá, pegaram um voo para o Brasil, onde chegaram no dia 6 de fevereiro. Eles foram para o interior do Espírito Santo, onde têm familiares. Após ser preso, Thiago falou que eles estavam usando drogas no dia do crime e que agiram para se defender, porque Ana Paula estaria com uma faca. O carro dela foi encontrado semana passada, no estacionamento de um cassino em outro estado americano, Oklahoma. Nos Estados Unidos, Ana Paula trabalhava em uma empresa de aplicativo de transporte. A mãe da vítima, Delma, mora na cidade de Mateus Leme (MG). Ela fez um vídeo pedindo ajuda para trazer o corpo da filha para o Brasil. "O meu sonho era que eles fossem pagar esse crime lá onde eles cometeram", disse Delma ao Fantástico.

 

Fonte: G1

Guaidó é barrado e entra à força no parlamento venezuelano

Um tumulto marcou a chegada do presidente autoproclamado da Venezuela, Juan Guaidó, à Assembleia Nacional na manhã desta terça-feira (7). No último domingo, houve uma votação controversa no Legislativo –o deputado chavista Luis Parra foi escolhido como o novo presidente do Congresso, mas a oposição havia sido barrada na entrada por militares (veja mais abaixo). Nesta terça-feira (7), agentes da Guarda Nacional Bolivariana e outras forças policiais do país sul-americano impediram, inicialmente, a entrada de Guaidó no prédio do Congresso. Posteriormente, no entanto, Juan Guaidó conseguiu entrar no local junto de apoiadores. O cordão policial barrou Guaidó e seus aliados durante cerca de uma hora. Quando os opositores ao regime chavista finalmente conseguiram entrar, o parlamentar autoproclamado presidente venezuelano foi à tribuna e cantou o hino da Venezuela. Na sessão que estava programada para esta terça-feira (7), Guaidó teria o primeiro debate após um novo capítulo da crise política que atinge a Venezuela.

 

Fonte: G1

Incêndio em fábrica na Índia mata dezenas de pessoas

Ao menos 43 pessoas morreram neste domingo (8) em um incêndio em uma fábrica em Nova Déli, na Índia. Segundo a polícia, o número de mortos, no entanto, não é definitivo e pode aumentar, pois das 58 pessoas resgatadas no local, 16 foram hospitalizadas, algumas em estado grave. Bombeiros controlaram o fogo, mas seguem no local à procura de outras possíveis vítimas. O fogo ocorreu nas primeiras horas da manhã em um bairro antigo da capital. Não há, porém, informações sobre as causas das chamas tampouco sobre o ramo da fábrica . As vítimas são funcionários que dormiam no edifício, informou Sunil Choudhary, chefe dos bombeiros de Nova Déli.

 

Fonte: G1

Tiroteio em escola na Califórnia deixa 1 morto e feridos na Califórnia

Um tiroteio deixou uma pessoa morta e pelo menos três outras feridas numa escola de ensino médio Saugus, em Santa Clarita, na Califórnia, nos Estados Unidos, nesta quinta-feira (14). Uma jovem de 15 anos morreu, segundo um hospital que atende os feridos no caso. O suspeito foi detido e também está sendo tratado no hospital, segundo informação do xerife Alex Villanueva em uma rede social. Uma arma foi apreendida. Antes de ele publicar essa informação, duas fontes policiais da rede CNN haviam afirmado que o suspeito estaria morto, o que não se comprovou. De acordo com o hospital Henry Mayo Newhall, todas as três vítimas que estão sendo atendidas são do gênero masculino, sendo que uma está em bom estado e duas estão em estado crítico. A aluna Rosie Rodriguez contou à agência Associated Press que estava começando a subir as escadas para ir à biblioteca quando ouviu um barulho que parecia com "balões estourando". Quando viu outros jovens correndo, entendeu que eram tiros, saiu e atravessou a rua rapidamente. Ainda carregando uma pilha de livros, ela chegou a uma casa na vizinhança, onde um morador que ela não conhecia abriu a porta para ela. A mesma pessoa abrigou cerca de 10 outros alunos ao perceber a movimentação e o que estava acontecendo. "Nós nunca achamos que isso aconteceria na nossa escola", disse Rodriguez à AP. Imagens divulgadas por canais locais mostraram feridos sendo levados para ambulâncias e alunos deixando a instituição de ensino. Por medidas de segurança, escolas do distrito de William S. Hart chegaram a ficar fechadas, mas depois foram liberadas para reabrir. Os estudantes da Saugus foram levados a um parque, onde testemunhas estão sendo entrevistadas pela polícia e depois liberadas para reencontrar seus pais, que foram orientados a se dirigir ao local. Várias unidades policiais foram mobilizadas para atender a ocorrência. As autoridades recomendaram aos moradores da região ficarem em casa com as portas trancadas. A polícia afirmou que suspeita que o autor dos disparos seja um dos alunos.

 

Fonte: G1

Walter Mercado morre aos 87 anos

O astrólogo porto-riquenho Walter Mercado morreu na noite deste sábado (2) aos 87 anos. A porta-voz do hospital Sofía Luquis disse à Associated Press no domingo (3) que Mercado morreu de insuficiência renal no Hospital Auxilio Mutuo, em San Juan, no final do sábado. Ela não estava autorizada a divulgar mais detalhes, incluindo quantos dias ele havia sido hospitalizado e se havia se mudado de volta para Porto Rico, do sul da Flórida. Mercado nasceu em Ponce, uma das maiores cidades de Porto Rico. Ele trabalhou brevemente em emissoras de TV no território do Caribe dos EUA antes de se mudar para o sul da Flórida. Lá, ele ganhou fama por seu segmento diário de horóscopo na TV em espanhol, transmitido de maneira dramática com um toque exagerado do som "r". Ele utilizava longos e coloridos tecidos e enormes anéis de pedras preciosas, que ele exibia enquanto apontava para telespectadores. Sua frase de efeito para o público era: "Acima de tudo, muito e muito amor". Mercado nunca declarou publicamente sua sexualidade, mas ele era um ícone na comunidade gay como alguém que desafiava a cultura conservadora da televisão na América Latina. "Ele confere à drag queen autoridade papal", escreveu Diana Taylor, professora da Escola Tisch de Artes Cênicas da Universidade de Nova York, em uma crítica de 2003. No Brasil, Walter Mercado ficou famoso durante os anos 1990 com seu bordão 'Ligue já', utilizado em campanhas publicitárias para anunciar serviços de consulta astrológica. Em 1998, Mercado teve problemas por endossar supostos produtos de saúde e beleza. Ele foi citado em uma ação coletiva que o acusou de induzir pessoas a comprarem pedras com supostos poderes especiais. O presidente da joalheria, Unique Gems International Corp., foi condenado a 14 anos de prisão por enganar 16 mil pessoas em uma fraude de US$ 90 milhões. Em outubro de 2010, Mercado anunciou que estava mudando seu nome para "Shanti Ananda". Nesse mesmo ano, ele parou de filmar seu segmento no canal de TV em espanhol da Univision. Meses depois, ele começou a entregar horóscopos diários através do jornal El Nuevo Herald, em Miami. Mercado foi hospitalizado em dezembro de 2011 em Porto Rico, após um resfriado que se transformou em pneumonia. Seu estado de saúde piorou e ele foi transferido para um hospital em Ohio. Mais tarde foi revelado que ele havia sofrido um ataque cardíaco.

 

Fonte: G1

Explosão em casamento em Cabul mata 63 e fere 182 pessoas

Uma forte explosão durante uma festa de casamento deixou 63 mortos e 182 feridos na noite deste sábado (17) no oeste de Cabul, no Afeganistão, informou o Ministério Afegão do Interior. A explosão ocorreu em um bairro de minoria xiita da capital. De acordo com o porta-voz do Ministério do Interior, Nasrat Rahimi, há mulheres e crianças entre as vítimas. Um homem-bomba acionou seu cinturão de explosivos em um salão de festas, por volta das 22h40 no horário local. “Os convidados dançavam e festejavam quando aconteceu a explosão”, descreveu uma testemunha no hospital, atingida nos braços e na barriga. Uma testemunha disse à TV americana CBS que mais de mil pessoas haviam sido convidadas para a cerimônia e festa. Os casamentos no Afeganistão são eventos multitudinários, com centenas ou até milhares de convidados comemorando juntos a cerimônia em salões de dimensões industriais, onde os homens geralmente estão separados de mulheres e crianças. Mohamad Farhag, uma das pessoas presentes no casamento, disse que estava na área reservada às mulheres quando ouviu uma forte explosão na zona destinada aos homens. "Todo mundo correu para fora gritando e chorando", contou. "Quase todo mundo na seção de homens estava morto ou ferido. Agora, duas horas depois do ataque, continuam tirando corpos da sala", acrescentou. O bairro do local do ataque tem sido alvo de ataques suicidas nos últimos anos, pois lá estão alvos com segurança baixa, como mesquitas e centros educacionais. A maioria desses ataques prévios, cujos alvos eram xiitas, foi assumida pelo Estado Islâmico (EI), um grupo terrorista sunita, que tem tido uma atuação persistente no Afeganistão. Até agora, nenhum grupo reivindicou o ataque deste sábado. Os talibãs negaram a autoria do atentado – o mais violento desde o início do ano visando civis. Em uma mensagem no Twitter, o porta-voz do grupo escreveu que “não há justificativa em cometer tais assassinatos de forma brutal, tendo como alvo mulheres e crianças.” O texto contradiz com ações passadas do grupo. Os extremistas ligados aos jihadistas do grupo EI não se manifestaram. O presidente afegão, Ashraf Ghani, qualificou o atentado de "bárbaro", e disse que os talibãs "não podem se exonerar completamente porque servem de plataforma para os terroristas." O chefe do Executivo, Abdullah Abdullah, declarou que o ataque é "é um crime contra a humanidade." Em 12 de julho, pelo menos seis pessoas morreram em um ataque suicida em outro casamento na província de Nangarhar (leste). O grupo extremista Estado Islâmico também reivindicou aquele atentado. O porta-voz do governo, Feroz Bashari, afirmou que a explosão era "um sinal claro de que os terroristas não podem ver os afegãos expressando felicidade". "Não podem dobrá-los matando-os. Os encarregados pelo ataque desta noite vão responder" por isso, escreveu no Twitter. A explosão de sábado ocorre em um momento em que Estados Unidos e talibãs concluem um acordo aguardado para pactuar uma redução considerável das tropas americanas no Afeganistão em troca de que os insurgentes respeitem um cessar-fogo, rompam lanços com a al-Qaeda e negociem com o governo de Cabul um acordo duradouro de paz. O presidente Donal Trump disse desde o começo do seu mandato que quer as tropas fora deste país, onde Washington gastou mais de um trilhão de dólares, entre operações militares e trabalhos de reconstrução, desde 2001. Na sexta-feira (16), Ahmadullah Azkhundzada, irmão do líder talibã afegão Haibatullah Akhundzada, foi uma das quatro vítimas fatais de uma explosão em uma mesquita no Baluchistão, no sudoeste do Paquistão, informou o governo provincial.

 

 

Fonte: G1

Mais de 40 universidades de Portugal já aceitam o Enem para selecionar estudantes brasileiros

O número de universidades portuguesas que aceitam a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ultrapassou a marca de 40. Segundo anunciou o Ministério da Educação nesta sexta-feira (16), quatro novas instituições de ensino superior de Portugal aderiram ao convênio com o governo federal para que estudantes brasileiros possam ser selecionados para cursos de graduação por meio do exame. Assim, o número subiu de 37 para 41. O Enem 2019 será realizado nos dias 3 e 10 de novembro, e 5 milhões de pessoas estão com a inscrição confirmada, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Universidades de Portugal começaram a aceitar a nota do Enem em 2014 – a primeira instituição a aderir foi a Universidade de Coimbra, em maio daquele ano; em setembro, a Universidade de Algarve também entrou no convênio. Pelo convênio, cada universidade parceira define qual será a nota de corte do Enem para cada um de seus cursos. Cabe ao Inep conferir os resultados dos brasileiros que pleiteiam uma vaga no exterior. Até 2018, o Inep estima que pelo menos 1.200 brasileiros já ingressaram no ensino superior em Portugal por meio do programa.

 

Fonte: G1

Pagina 1 de 2

Please publish modules in offcanvas position.