• Whatsapp:
  • (33)9.9913-6056

Portuguese English Spanish
  • 1

    1

  • 2

    2

  • 3

    3

Explosão em casamento em Cabul mata 63 e fere 182 pessoas

Uma forte explosão durante uma festa de casamento deixou 63 mortos e 182 feridos na noite deste sábado (17) no oeste de Cabul, no Afeganistão, informou o Ministério Afegão do Interior. A explosão ocorreu em um bairro de minoria xiita da capital. De acordo com o porta-voz do Ministério do Interior, Nasrat Rahimi, há mulheres e crianças entre as vítimas. Um homem-bomba acionou seu cinturão de explosivos em um salão de festas, por volta das 22h40 no horário local. “Os convidados dançavam e festejavam quando aconteceu a explosão”, descreveu uma testemunha no hospital, atingida nos braços e na barriga. Uma testemunha disse à TV americana CBS que mais de mil pessoas haviam sido convidadas para a cerimônia e festa. Os casamentos no Afeganistão são eventos multitudinários, com centenas ou até milhares de convidados comemorando juntos a cerimônia em salões de dimensões industriais, onde os homens geralmente estão separados de mulheres e crianças. Mohamad Farhag, uma das pessoas presentes no casamento, disse que estava na área reservada às mulheres quando ouviu uma forte explosão na zona destinada aos homens. "Todo mundo correu para fora gritando e chorando", contou. "Quase todo mundo na seção de homens estava morto ou ferido. Agora, duas horas depois do ataque, continuam tirando corpos da sala", acrescentou. O bairro do local do ataque tem sido alvo de ataques suicidas nos últimos anos, pois lá estão alvos com segurança baixa, como mesquitas e centros educacionais. A maioria desses ataques prévios, cujos alvos eram xiitas, foi assumida pelo Estado Islâmico (EI), um grupo terrorista sunita, que tem tido uma atuação persistente no Afeganistão. Até agora, nenhum grupo reivindicou o ataque deste sábado. Os talibãs negaram a autoria do atentado – o mais violento desde o início do ano visando civis. Em uma mensagem no Twitter, o porta-voz do grupo escreveu que “não há justificativa em cometer tais assassinatos de forma brutal, tendo como alvo mulheres e crianças.” O texto contradiz com ações passadas do grupo. Os extremistas ligados aos jihadistas do grupo EI não se manifestaram. O presidente afegão, Ashraf Ghani, qualificou o atentado de "bárbaro", e disse que os talibãs "não podem se exonerar completamente porque servem de plataforma para os terroristas." O chefe do Executivo, Abdullah Abdullah, declarou que o ataque é "é um crime contra a humanidade." Em 12 de julho, pelo menos seis pessoas morreram em um ataque suicida em outro casamento na província de Nangarhar (leste). O grupo extremista Estado Islâmico também reivindicou aquele atentado. O porta-voz do governo, Feroz Bashari, afirmou que a explosão era "um sinal claro de que os terroristas não podem ver os afegãos expressando felicidade". "Não podem dobrá-los matando-os. Os encarregados pelo ataque desta noite vão responder" por isso, escreveu no Twitter. A explosão de sábado ocorre em um momento em que Estados Unidos e talibãs concluem um acordo aguardado para pactuar uma redução considerável das tropas americanas no Afeganistão em troca de que os insurgentes respeitem um cessar-fogo, rompam lanços com a al-Qaeda e negociem com o governo de Cabul um acordo duradouro de paz. O presidente Donal Trump disse desde o começo do seu mandato que quer as tropas fora deste país, onde Washington gastou mais de um trilhão de dólares, entre operações militares e trabalhos de reconstrução, desde 2001. Na sexta-feira (16), Ahmadullah Azkhundzada, irmão do líder talibã afegão Haibatullah Akhundzada, foi uma das quatro vítimas fatais de uma explosão em uma mesquita no Baluchistão, no sudoeste do Paquistão, informou o governo provincial.

 

 

Fonte: G1

Mais de 40 universidades de Portugal já aceitam o Enem para selecionar estudantes brasileiros

O número de universidades portuguesas que aceitam a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ultrapassou a marca de 40. Segundo anunciou o Ministério da Educação nesta sexta-feira (16), quatro novas instituições de ensino superior de Portugal aderiram ao convênio com o governo federal para que estudantes brasileiros possam ser selecionados para cursos de graduação por meio do exame. Assim, o número subiu de 37 para 41. O Enem 2019 será realizado nos dias 3 e 10 de novembro, e 5 milhões de pessoas estão com a inscrição confirmada, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Universidades de Portugal começaram a aceitar a nota do Enem em 2014 – a primeira instituição a aderir foi a Universidade de Coimbra, em maio daquele ano; em setembro, a Universidade de Algarve também entrou no convênio. Pelo convênio, cada universidade parceira define qual será a nota de corte do Enem para cada um de seus cursos. Cabe ao Inep conferir os resultados dos brasileiros que pleiteiam uma vaga no exterior. Até 2018, o Inep estima que pelo menos 1.200 brasileiros já ingressaram no ensino superior em Portugal por meio do programa.

 

Fonte: G1

Tufão Lekima deixa 18 mortos e 16 desaparecidos na China

A violenta passagem do tufão Lekima neste sábado (10) pelo leste da China, onde chuvas torrenciais são registradas, causou pelo menos 18 mortes e 16 desaparecimentos e provocou a evacuação de um milhão de pessoas. Ondas de vários metros de altura atingiram a costa durante as primeiras horas deste sábado na província de Zhejiang, sul de Xangai. De acordo com a rede pública de CCTV, esse deslizamento ocorreu na área metropolitana de Wenzhou. "As chuvas torrenciais causaram um deslizamento de terra em uma montanha que bloqueou um rio abaixo", explicou a CCTV. A água resultante do lago varreu tudo em seu caminho quando quebrou a barreira natural. Pelo menos um milhão de pessoas foram evacuadas antes da chegada do tufão, informou a agência Xinhua. Mais de 100 mil foram realocados em abrigos temporários. O tufão Lekima atingiu a costa com ventos de até 187 km/h na província de Zhejiang. O alerta vermelho que foi ativado na sexta-feira (9) voltou a laranja quando Lekima estava indo para o norte e para a região de Xangai neste sábado, com ventos levemente menos fortes, deixando de ser um "supertifão" para virar um "tufão". As autoridades evacuaram cerca de 300 mil pessoas na área metropolitana de Xangai, a capital econômica do país. As viagens de trem de levitação magnética que ligam a cidade a um dos seus aeroportos foram suspensas e também a Disneylândia de Xangai fechou suas portas, pela primeira vez desde a abertura deste parque de diversões em 2016. A CCTV divulgou imagens espetaculares de torrentes de lama que desciam de uma montanha, de uma estrada destruída, árvores desenraizadas, veículos semi-afundados ou salva-vidas em trajes laranja evacuando pessoas resgatadas. O tufão já havia afetado Taiwan na sexta-feira (9), deixando nove feridos e milhares de casas sem eletricidade. Em setembro do ano passado, o tufão Mangkhut levou à evacuação de dois milhões de pessoas, à destruição significativa em Hong Kong e a Macau e à morte de 59 pessoas nas Filipinas.

 

Fonte: G1

Ladrões roubam milhões em moedas de ouro na Casa da Moeda no México

Ladrões armados invadiram uma fábrica de moedas do governo mexicano na terça-feira (6) e encheram uma mochila com mais de 50 milhões de pesos (quase R$ 10 milhões) em moedas de ouro de um cofre que havia sido deixado aberto, disseram autoridades de segurança. O roubo à luz do dia foi o mais recente crime de grande repercussão que atingiu a Cidade do México. Duas pessoas, uma delas com uma arma de fogo, invadiram uma agência da Casa da Moeda pela manhã depois de jogar no chão um guarda e tomar sua arma, informou a polícia da Cidade do México. Um dos ladrões foi até o cofre, que estava aberto, e encheu uma mochila com 1.567 moedas de ouro, disse a polícia. As moedas, conhecidas como "centenários", têm um valor nominal de 50 pesos, mas são negociadas por 31.500 pesos (mais de R$ 6 mil) cada, de acordo com o banco mexicano Banorte. Isso faz com que o valor total da carga seja de quase R$ 10 milhões. A moeda foi cunhada pela primeira vez em 1921 para comemorar o centésimo aniversário da independência mexicana da Espanha, de acordo com o banco central. A produção foi suspensa em 1931, mas a moeda voltou a ser produzida a partir de 1943 devido à demanda por moedas de ouro. Um lado ostenta o brasão do México, com uma águia empoleirada no topo de um cacto, e o outro apresenta o icônico monumento Anjo da Independência da capital, apoiado pelos majestosos vulcões Iztaccihuatl e Popocatepetl. As moedas, de 37 mm (1,46 polegadas) de diâmetro, têm uma excelência de ouro de 0,900, ou 90% de pureza. A mesma filial da Casa da Moeda também foi invadida no ano passado enquanto o prédio estava sendo reformado, segundo a mídia mexicana.

 

 

Fonte: G1

Tragédia nos Estados Unidos

Pelo menos 20 pessoas morreram e outras 26 ficaram feridas em um ataque a tiros em um supermercado da rede Walmart no Texas, conforme o governador do Estado, Greg Abbott. A loja fica próxima ao shopping Cielo Vista Mall, na cidade de El Paso, a poucos quilômetros da fronteira entre EUA e México. O sargento da polícia de El Paso Robert Gomez informou que um homem branco na faixa dos 20 anos foi detido sob suspeita de ser o atirador. De acordo com a imprensa americana, ele seria Patrick Crusius, de 21 anos. Imagens de câmeras de vigilância supostamente do atirador reproduzidas pela imprensa americana mostram um jovem de camiseta escura com protetores auriculares brandindo um fuzil. Os primeiros relatos de que havia um incidente no Cielo Vista Mall apareceram por volta das 11h do horário local (14h no horário de Brasília). A polícia afirma ter recebido informações de que havia um tiroteio tanto no shopping quanto na loja da rede Walmart, que fica logo ao lado. As autoridades locais disseram que o supermercado estava cheio no momento do ataque, já que muitas famílias compravam material escolar para o semestre letivo que se inicia neste mês de agosto nos Estados Unidos. Uma testemunha, Glendon Oakly, relatou ao canal CNN que estava em uma loja de artigos esportivos dentro do shopping quando uma criança correu para dentro do estabelecimento "dizendo que havia um atirador no Walmart". Ninguém, segundo ele, levou a criança a sério, mas, minutos depois, teriam sido ouvidos dois tiros. "Eu só pensei em tirar as crianças do caminho (e colocá-las em um local seguro)", completou. Kianna Long, por sua vez, estava no supermercado com o marido quando ouviu os tiros. "As pessoas estavam em pânico, correndo, dizendo que havia um atirador", relatou à agência de notícias Reuters. "Elas corriam agachadas, algumas caíam no chão." Long disse ainda que ela e o companheiro haviam corrido para uma das salas de estoque antes de se protegerem com outros clientes em um contêiner de metal. O Departamento de Polícia de El Paso tuitou pedindo doações de sangue "com urgência". "Essa é uma tragédia que nunca poderíamos imaginar que aconteceria em El Paso", disse ao canal CNN o prefeito da cidade, Dee Margo. "Me deixa arrasado." O presidente Donald Trump afirmou que os relatos vindos do local eram "muito ruins, com muitos mortos". Em um comunicado, o governador do Texas, Greg Abbott, declarou que El Paso havia sido "atingida por um ato de violência hediondo e sem sentido". "Nossos corações estão com as vítimas desse terrível tiroteio e com toda a comunidade (de El Paso) neste momento de perda", acrescenta o texto. O pré-candidato democrata à presidência Beto O'Rourke deixou um evento de campanha em Las Vegas para voltar à sua El Paso natal. Mais cedo no sábado, ele comentou sobre o episódio em um fórum trabalhista do qual participava, dizendo à plateia que o ataque quebrava a ilusão de que uma reforma na legislação sobre armas viria "em seu próprio tempo" no país. "Sabemos que há muitos feridos, muito sofrimento em El Paso neste momento", declarou. Outros pré-candidatos do Partido Democrata também responderam à tragédia com apelos por um maior controle na compra e venda de armas. Um deles, o senador por Nova Jersey Cory Booker, afirmou que os EUA parecem "aceitar a ideia de que isso (os tiroteios) se tornará algo corriqueiro". A rede Walmart declarou estar "em choque com os eventos trágicos" e afirmou estar "trabalhando ao lado das autoridades".

 

Fonte: BBC Brasil

Príncipe dos Emirados Árabes Unidos é encontrado morto em Londres

O príncipe Khalid Al Qasimi, de 39 anos, segundo filho de um dos xeiques dos Emirados Árabes Unidos, morreu, informou nesta terça-feira (2) o jornal britânico "The Guardian". Ele trabalhava como estilista e havia se apresentado há três semanas na London Fashion Week. Segundo a BBC, a polícia de Londres está tratando a morte dele como inexplicada. A organização diz que recebeu uma notificação de "uma morte súbita em uma propriedade residencial em Knightsbridge", um distrito da cidade. Agora, aguarda resultados de mais exames pós-morte, porque o resultado dos primeiros foram "inconclusivos". O pai de Khalid é o xeique Sultan bin Muhammad Al Qasimi, governante do Emirado de Sharjah, um dos sete que compõem os Emirados Árabes. Um período de luto de três dias foi decretado pela morte do príncipe no país, onde bandeiras devem ficar a meio mastro. O xeique expressou sua tristeza em um post no Instagram na terça (2), dizendo que seu filho estava "sob os cuidados de Deus." O presidente dos Emirados Árabes Unidos e governante de Abu Dhabi, o xeique Khalifa bin Zayed Al Nahyan, ofereceu suas condolências ao xeique Sultan e sua família.

 

Fonte: G1

México detém quase 800 imigrantes sem documentos em quatro caminhões

Autoridades mexicanas detiveram cerca de 800 imigrantes sem documentos no leste do México em quatro caminhões no sábado (16), informou o governo, em uma das maiores investidas contra a imigração ilegal nos últimos meses. O Instituto Nacional de Migração do México (INM) disse em um comunicado no sábado que 791 estrangeiros foram encontrados em caminhões parados no Estado de Veracruz, no leste do país, confirmando relatos anteriores sobre uma detenção em massa. A apreensão ocorreu no momento em que o México intensifica os esforços para reduzir a onda de imigrantes em fronteiras sob pressões do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que prometeu prejudicar os produtos mexicanos com tarifas caso o México não impeça a imigração ilegal. O México fez um acordo em 7 de junho com os Estados Unidos para evitar as tarifas, marcando o tempo de 45 dias para que o governo mexicano faça progressos palpáveis na redução do número de pessoas que tentam atravessar a fronteira ilegalmente. Houve um salto nas apreensões na fronteira EUA-México neste ano, irritando Trump, que fez da redução da imigração ilegal uma de suas promessas políticas. 

A maioria dos que são apanhados tentando entrar nos Estados Unidos são pessoas que fogem da pobreza e da violência em três países da América Central Guatemala, Honduras e El Salvador. A decisão do México de apertar sua fronteira e responder às ameaças de Trump causou tensões dentro do governo e, na sexta-feira, o chefe do INM, Tonatiuh Guillen, renunciou. Ele foi substituído por Francisco Garduno, que já havia servido como chefe do sistema prisional do México.

 

Fonte: G1

Reabertura de fronteira entre Venezuela e Colômbia tem tráfego intenso de pessoas

O ministério de Relações Exteriores da Colômbia anunciou neste domingo (9) que o tráfego de pessoas que entravam no países por caminhos irregulares e perigosos, chamados de trilhas, diminuiu desde que o presidente venezuelano Nicolás Maduro reabriu a fronteira entre os dois países. O anúncio de Maduro, feito no sábado (8), permitiu reabrir a passagem de pessoas pelas pontes Simon Bolívar, Francisco de Paula e Unión — localizadas entre a área metropolitana de Cúcuta e o estado de Táchira. Segundo o Departamento de Migração colombiano 37 mil pessoas deixaram o país desde que as fronteiras foram reabertas, enquanto que 30 mil entraram na Colômbia. De acordo com Christian Krüger, diretor geral da Migração na Colômbia, são "cidadão venezuelanos que conseguiram retornar para seu país com necessidades básicas, sem ter que colocar suas vidas em risco nas trilhas ou ter que pagar para conseguir atravesar por esses lugares."

 

Fonte: G1

 

Casal de mulheres é agredido por gangue em ônibus em Londres

Um casal de mulheres foi agredido por uma gangue em um ônibus em Londres, na Inglaterra, depois de se recusar a dar um beijo como queriam os agressores. Todas as informações do relato foram publicadas na conta de rede social de uma das vítimas, Melania Geymonat. O incidente aconteceu na quarta-feira da semana passada (dia 29), segundo ela. Eram ao menos quatro agressores, que exigiam que as duas se beijassem porque eles iriam gostar de olhar, de acordo com seu texto. Os seus pertences foram roubados. “Temos que aguentar agressão verbal e violência chauvinista, misógina e homofóbica porque, quando uma pessoa se impõe contra isso, coisas como essas acontecem”, escreveu ela. Ela diz que deve ter perdido a consciência e, de repente, a polícia estava lá.

 

Fonte: G1

Jovem é denunciado em Londres por morte de Brasileiro

Um adolescente de 16 anos foi denunciado pelo assassinato do capoeirista brasileiro Iderval Silva, de 46 anos, em Londres, e comparecerá a uma audiência em um tribunal londrino nesta sexta-feira. O rapaz, cujo nome não pode ser divulgado por causa de sua idade, havia sido detido nesta quarta, 29, pela polícia Metropolitana de Londres. A polícia não forneceu mais detalhes. Na quinta-feira, um homem de 19 anos foi detido sob suspeita de coautoria do mesmo crime após ter se entregado à polícia. Um terceiro rapaz de 16 anos havia sido detido no dia do crime, mas foi liberado pela polícia com a obrigação de responder às investigações no começo de junho. Iderval era um instrutor de capoeira que, para complementar a renda, trabalhava como entregador de um aplicativo de entrega de comida. Ele foi atacado na tarde de sábado (25) ao se aproximar de um grupo de jovens que aparentemente tentava furtar sua moto em um estacionamento próximo a estabelecimentos comerciais. O ataque aconteceu em um bairro no sul de Londres, para onde Iderval tinha se mudado em março. Natural de Presidente Prudente, interior de São Paulo, o capoeirista havia deixado o Brasil em 2000, tendo vivido a maior parte do tempo em Portugal. Deixou um filho de 24 anos. Ele vivia em Londres desde março e fazia bicos entregando comida para o Uber. Na tarde de sábado, 25, Iderval estacionou sua moto em uma praça no bairro de Battersea com vários estabelecimentos comerciais para comer em um restaurante brasileiro. Motoboys brasileiros - há uma grande comunidade deles em Londres - costumam parar no estabelecimento Rice and Beans para comer pratos feitos. Battersea, bairro na margem sul do rio Tâmisa, contrasta mansões milionárias que dão para um dos maiores parques de Londres, casas com moradores da classe média e amplos conjuntos residenciais, em que vivem comunidade menos abastadas. Esse pequeno centro comercial onde Iderval havia ido comer fica ao lado de um grande estacionamento de um supermercado da região, onde, segundo Barham Hammad, de 27 anos, se vê grupos de jovens andando de bicicleta e vendendo drogas com frequência. Hammad é dono de uma barbearia ali, e contou à BBC News Brasil a ter presenciado parte do ataque a Iderval. "Ouvi muita gritaria. Quando saí, vi seu corpo no chão e um grupo de ao menos 10 jovens correndo, fugindo", afirma ele, uma das pessoas que ligaram para a polícia e para a ambulância naquele dia. "Vejo eles por aqui todos os dias, praticamente. Jamais esperaria que eles pudessem matar alguém. É muito inesperado." Em nota, a polícia Metropolitana de Londres afirmou que o grupo fugiu do local antes de a polícia chegar, às 16h32 daquele sábado. A moto não foi roubada. A polícia falou com a vizinhança e recolheu vídeos de câmeras dos estabelecimentos comerciais próximos à cena do crime. Funcionários do restaurante brasileiro não quiseram falar com a BBC News Brasil. Na tarde desta quinta (30), alguns motoboys brasileiros almoçavam ali, suas motos estacionadas onde a de Iderval estava dias antes. No local do crime, há flores em homenagem ao capoeirista morto. "Para a gente, que trabalha de moto, a vida é difícil. Já trabalhei entregando comida, mas o roubo é muito grande, não faço isso mais", diz o paranaense Vinicius Klehm, de 23 anos, que havia feito uma parada no restaurante brasileiro. Hoje, trabalha fazendo entregas para um laboratório. Um dono de uma lavanderia próxima do local do crime que não quis ser identificado e que também diz ver os jovens com frequência na região, conta que agora sente medo. Ele lembra outro assassinato que ocorreu em outubro e que assustou os moradores da região. Ian Tomlin, também de 46 anos, foi espancado com um taco de baseball após confrontar uma dupla por estar vendendo drogas em frente ao seu apartamento. Dois homens, um de 48 anos, e outro de 46, foram condenados nesta sexta, 31, para cumprir 21 e 19 anos na prisão, respectivamente.

 

Fonte: G1

Please publish modules in offcanvas position.