• Whatsapp:
  • (33)9.9913-6056

Portuguese English Spanish
  • 1

    1

  • 2

    2

  • 3

    3

Duas jovens morrem ao caírem em cachoeira de 30 metros na Serra de SC

Duas jovens de 19 anos morreram após caírem em uma cachoeira em Lages, na Serra catarinense, no fim da tarde de domingo (13). Segundo o Batalhão de Aviação da Polícia Militar, uma delas escorregou e a amiga, ao tentar segurá-la, também se desequilibrou.

As duas caíram de uma altura de aproximadamente 30 metros em um local de difícil acesso e precisaram se resgatadas de helicóptero na localidade do Salto Rio Caveiras.

Bruna Velasquez morreu ainda no local. Monique Medeiros foi levada a hospital Nossa Senhora dos Prazeres, em Lages, com ferimentos graves, mas não resistiu e morreu ao dar entrada da unidade de saúde.

O Serviço Móvel de Urgência (Samu) socorreu as vítimas junto com a polícia. As equipes constataram a morte de uma delas no local. A outra foi colocada em "maca de ribanceira" e conduzida até um campo.

Em um campo próximo ao local, a jovem foi retirada da maca e colocada em uma ambulância para ser levada ao hospital. Depois, as equipes voltaram para retirar a outra jovem do local.

Segundo os socorristas, o local em que as jovens estavam é proibido, mas muitos visitantes acabam indo até o local atraídos pela paisagem. Muitas pessoas viram o resgate no local.

As duas jovens moravam em Lages. Em redes sociais, amigos e familiares delas lamentaram as mortes. Até as 12h30 a reportagem  tentava contato com a polícia para saber se o caso deve ser investigado.

 

Fonte: G1

Cantor Parrerito está entubado com Covid - 19

O cantor Parrerito está internado desde sábado, 29, após ser diagnosticado com covid-19, e precisou ser entubado depois de ter um mal súbito na tarde da segunda-feira, 31. Integrante do Trio Parada Dura, o sertanejo está em um hospital em Belo Horizonte, Minas Gerais. 

Uma publicação feita no Instagram do Trio Parada Dura nesta terça-feira, 1, informou que o quadro do cantor é "estável", e que ele está na UTI do Hospital Unimed desde a tarde de ontem, 31. "O cantor está em UTI com uso de respirador mecânico e sob observação médica", diz a publicação. 

Com 67 anos de idade, Parrerito faz parte do grupo de risco para a covid-19. O Trio Parada Dura chegou a se apresentar em uma live no domingo, 30, sem Parrerito. A atualização sobre o estado de saúde do cantor inclui um agradecimento pelas "mensagens de carinho e boas energias para a recuperação do Parrerito".

 

Fonte: Terra

 

Líder indígena, cacique Raoni é internado com Covid-19 em Mato Grosso

O cacique Raoni Metuktire, de 89 anos, líder da etnia Kayapó, está internado em um hospital de Sinop, a 503 km de Cuiabá, com coronavírus (Covid-19). Raoni é conhecido internacionalmente pela defesa dos direitos dos povos indígenas. A equipe médica do Hospital Dois Pinheiros confirmou que o Cacique teve Covid-19 e que exames mostram presença de anticorpos. A pedido da família, somente foi divulgado que, caso o quadro permaneça estável, o Cacique Raoni terá alta em breve. Sua idade inspira cuidados e o Cacique Raoni seguirá com assistência médica até ficar completamente recuperado.

 

Fonte: G1

PADRE DESEJA A MORTE PARA QUEM NÃO FOR A IGREJA

O padre Antônio Firmino, da paróquia São João Batista, em Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata Mineira, desejou a morte de católicos que não estão indo à missa por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus. Segundo o pároco, os fiéis que não estão no grupo de risco e optaram por sair só quando houvesse a vacina deviam "morrer antes" que ela fosse entregue à população. No vídeo, que também está circulando pelas redes sociais, o padre diz que a igreja está respeitando as normas de distanciamento, mas repreendeu os fiéis que não estão frequentando as reuniões. "Então, a gente vai vendo quem realmente ama a eucaristia", disse ele. "Porque tem alguns católicos, engraçado, que tem saúde tem tudo e dizem: 'Eu só vou na igreja quando tiver a vacina'. Tomara que não apareça vacina para essas pessoas. Ou que morram antes da vacina chegar. Porque existem pessoas que não têm problema nenhum, que não estão no grupo de risco. Mas isso significa que a pessoa não tem fé nenhuma", concluiu o padre. A reportagem entrou em contato com a Arquidiocese de Belo Horizonte que ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

 

Fonte: Estado de Minas

Vídeo relacionado

{com/i/status/1297936547325579266remote}https://twitter.com/i/status/1297936547325579266{/com/i/status/1297936547325579266remote}

Leo Canhoto, da dupla com Robertinho, morre aos 84 anos

Leonildo Sachi, mais conhecido como Leo Canhoto, morreu na madrugada do último sábado (25) aos 84 anos, em São Paulo.

O músico estava internado há três semanas após sofrer três paradas cardíacas. No hospital, ele desenvolveu  pneumonia e não resistiu à doença.

Nascido em Anhumas, interior de São Paulo, ele começou na música atuando como empresário e compositor, mas se tornou famoso por montar dupla com Robertinho e ajudar a introduzir a guitarra elétrica na música sertaneja durante a década de 1970.

Além dos instrumentos de rock, a dupla ficou conhecida pelo visual que misturava cabelos compridos e roupas extravagantes, medalhões e joias, inspirados na jovem guarda, Elvis e Beatles.

 

Durante os anos de atuação, a dupla teve sucessos como Apartamento 37 e O Último Julgamento. Além disso, eles apareceram no cinema, com o filme Chumbo Quente (1978), escrito pelo próprio Leo Canhoto.

Em 1983, a dupla se separou, mas voltou a se reunir, sendo a última vez em um encontro realizado em 2018.

Léo Canhoto e Robertinho foram as principais influências de duplas como Milionário e José Rico, João Mineiro e Marciano, Chitãozinho e Xororó e chegaram a inspirar DJs de funk nos anos 90, que extraíam diálogos das músicas da dupla para utilizar nas produções.

Nos últimos anos, Leo Canhoto formava uma dupla ao lado de Dino Santos, que confirmou a morte do parceiro musical. "Ele foi um revolucionário. Deixou um trabalho fenomenal. E vamos continuar levantando essa bandeira", escreveu nas redes sociais.

 

Fonte: R7

Sertanejo João Mulato morre aos 70 anos em Bauru-SP

O cantor sertanejo João Mulato morreu na manhã desta segunda-feira (20), aos 70 anos, em Bauru (SP). De acordo com a família do cantor, ele fazia tratamento contra um câncer há um ano e morreu no Hospital Estadual. João Mulato nasceu em Minas Gerais e morava há 12 anos em Bauru. Ele era bastante conhecido pelo sertanejo raiz e sucessos com a dupla Douradinho. O sepultamento será no Cemitério do Redentor, ainda sem horário marcado.

 

Fonte: G1

 

 

Vídeo mostra corpos de pacientes com suspeita de Covid-19 ao lado de internados em hospital do AM

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra que 14 corpos de pacientes com suspeita do novo coronavírus estão posicionados ao lado de pacientes internados no Hospital Pronto Socorro João Lúcio, na Zona Leste de Manaus. A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou, por meio de nota, que apenas cinco corpos já haviam sido liberados até as 17h desta quinta-feira (16). No Amazonas, o número de casos confirmados da Covid-19 chegou a 1.719, nesta quinta-feira, com 124 mortes. O estado tem um dos maiores coeficientes de incidência do novo coronavírus por milhão de habitantes do País. O vídeo mostra que os corpos estão na Sala Rosa da unidade, local destinado ao atendimento de pacientes com a Covid-19. No local, há pacientes internados. As imagens começaram a circular na noite dessa quarta-feira (15). Procurada sobre a situação, a Susam informou que os 14 óbitos ocorridos no Hospital João Lúcio, entre a noite de ontem e o início da manhã desta quinta-feira (16/04), foram de pacientes suspeitos de Covid-19. Até a publicação desta matéria, conforme a Susam, nove permaneciam no local aguardando os familiares com as declarações de óbito. Com a capacidade máxima operacional atingida no Hospital Delphina Aziz, o Governo do Amazonas informou que os pacientes que tiverem necessidade de atendimento e chegarem à unidade com suspeita de Covid-19 deverão ser remanejados pela Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) para outras unidades de saúde da rede pública. De sobreaviso ficam as chamadas "salas rosas", instaladas nos pronto-socorros, em nove postos de Serviços de Pronto-Atendimento e duas Unidades de Pronto-atendimento da capital. Elas têm leitos clínicos e de estabilização com respiradores, caso o paciente necessite de intervenção enquanto aguarda a transferência para o hospital de referência. A Susam informou, ainda, que o Hospital João Lúcio tem recebido pacientes suspeitos de Covid-19 até que seja ampliado o número de leitos do Hospital Delphina Aziz e o Hospital da Nilton Lins entre em operação. Com a capacidade ampliada do Delphina e o reforço dos leitos do hospital de retaguarda, o HPS João Lúcio ficará exclusivo para o atendimento de urgência e emergência para suporte da rede. Desses pacientes, oito tinham idade acima de 60 anos, seis tinham comorbidades serveras, todos foram admitidos no hospital em estado grave, sendo cinco nas últimas 24 horas. Todos os pacientes receberam assistência adequada e manejo clínico de acordo com as suas necessidades, medicação e oxigênio.

 

Fonte: G1

Vídeo relacionado

Ceará ocupa ocupa todos os leitos de UTI para coronavírus e fila de espera já chega a 48 pacientes

O Ceará atingiu, nesta quinta-feira (16), 100% da capacidade das Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) específicas para tratamento da Covid-19 na rede pública. Conforme a secretária executiva de Vigilância e Regulação da Secretaria da Saúde (Sesa), Magda Almeida, o estado já possui 48 pacientes na fila de espera por uma vaga, até a manhã desta quinta. O índice de pessoas com o novo coronavírus no estado chegou a 2.386 nesta quinta. O número de pacientes mortos pela doença permanece em 124. Até a noite desta quarta (15), o Ceará tinha 169 pessoas hospitalizadas em UTIs por causa do coronavírus, de acordo com a Sesa. Desse total, 113 estavam em Fortaleza. Segundo Magda, é o perfil maior gravidade de pacientes com Covid-19 que demanda as estruturas especializadas. Cada paciente fica, em média, de 7 a 14 nesses leitos. “A pressão assistencial, independente dos números, é muito grande sobre os leitos de UTI porque não conseguimos abrir todos os 800 leitos que a gente projetava. Nossos respiradores não foram entregues, e estamos com muitos problemas em relação a isso. Nesse momento, apesar de não estarmos no pico esperado da epidemia, estamos com leitos de UTI em ocupação máxima”, explica Magda. O cenário é de alerta porque, pelas projeções matemáticas utilizadas pela pasta, a ocupação das UTIs foi atingida uma semana antes do esperado. “Se pegarmos todos esses modelos, nossos números reais estão sempre um pouquinho maiores do que o computador calculou, e isso acaba preocupando a gente”, afirma Magda.

 

Fonte: G1

RJ registra quatro mortes durante temporal

A forte chuva que atinge o Rio de Janeiro deixou quatro pessoas mortas, vias alagadas, casas inundadas e um rastro de destruição em diversas regiões da capital e em cidades da Região Metropolitana, principalmente Mesquita, na Baixada Fluminense. Das quatro mortes, três foram confirmadas pelo Corpo de Bombeiros. Duas aconteceram na Zona Oeste e outra em Mesquita, na Baixada Fluminense. À noite, moradores de Acari, na Zona Norte da cidade, informaram que um homem de 44 anos morreu afogado na região durante o temporal. Até às 20h55, os bombeiros não confirmavam essa quarta vítima. A Defesa Civil informou que "tem ciência de uma quarta vítima (masculino, adulto), em Acari, que teria se afogado." Ainda segundo a nota da Defesa Civil, a vítima foi levada por moradores para o Hospital Ronaldo Gazzolla, no mesmo bairro. A secretaria de Saúde do Rio ainda não informou a causa da morte. Na capital, a região mais afetada foi a Zona Oeste. A água invadiu casas e arrastou carros no bairro de Realengo. Trinta sirenes de 16 comunidades do Rio foram acionadas até a noite deste domingo (1º). Por conta do temporal, o município da capital está sob estágio de alerta e a previsão é de que mais chuva atinja a cidade. O prefeito Marcelo Crivella divulgou nota sobre a situação na cidade. Ele disse que as equipes estão nas ruas e pediu que a população evitem áreas de risco. Até as 16h00 deste domingo (1°), as principais ocorrências registradas em função do temporal foram: Quatro mortes - um homem e uma idosa na Zona Oeste e, segundo moradores, um homem morreu em Acari, na Zona Norte; outro homem morreu na Baixada Fluminense Alagamentos em diversas vias, com destaque para a Avenida Brasil BRT interrompeu serviço em um dos corredores Trens ficaram inoperantes em dois ramais. Em poucas horas, bairros da Zona Oeste ultrapassaram média histórica de chuva para março Visitas foram suspensas nos presídios de Bangu por conta de alagamentos e parentes fizeram protestos 30 sirenes foram acionadas em 16 comunidades até a noite deste domingo. A primeira morte ocorreu no Tanque, Zona Oeste, onde um homem de 40 anos foi retirado já morto dos escombros de um imóvel que desabou após deslizamento de terra, por volta das 4h25. Segundo a Defesa Civil do RJ, a casa ficava na Rua Almirante Melquíades de Souza, 319. Ainda de madrugada, por volta das 5h58, os bombeiros foram chamados para um atendimento na Taquara onde uma mulher foi encontrada morta no cruzamento da Rua Apiacás com a Estrada do Tindiba. Ela foi identificada como Vânia Nunes, de 75 anos. Segundo o Corpo de Bombeiros, quem acionou a corporação para o socorro da idosa informou que ela havia sido vítima de descarga elétrica no meio da enchente, mas a informação ainda não pode ser confirmada pelos os bombeiros. Por isso, a corporação disse que ainda não pode atribuir essa morte diretamente à chuva. Por volta das 19h30, os bombeiros confirmaram a morte de um homem em Mesquita, na Baixada Fluminense. Misael Xavier, 62 anos, morreu em um desabamento na Estrada Feliciano Sodré. Não há detalhes da ocorrência, segundo a corporação. Por volta das 21h, moradores de Acari, na Zona Norte, informaram que um homem de 44 anos morreu afogado no bairro. Até às 20h55, os bombeiros não confirmavam essa quarta vítima. Segundo a Defesa Civil, a vítima foi levada por moradores para o Hospital Ronaldo Gazzolla, no mesmo bairro. A secretaria de Saúde do Rio ainda não informou a causa da morte. Ainda segundo os Bombeiros, outro desabamento de imóvel foi registrado em Magé, na Região Metropolitana, deixando duas pessoas feridas. As vítimas foram identificadas como Maria R. Mendes, de 22 anos, e Flávio A. Pereira, de 27 anos. Ambos foram levados para o Hospital de Magé. O estado de saúde deles não foi informado. Até o final da manhã, o Centro de Operações da Prefeitura do Rio havia registrado 93 ocorrências em função da chuva, a maioria relacionadas a alagamentos, bolsões d’água e quedas de árvores. No mesmo horário, somente a Estrada de Furnas, no Alto da Boa Vista, permanecia totalmente interditada por causa da queda de árvores. Na Barra da Tijuca, o mergulhão U e Y foi interditado preventivamente. Mais cedo, ele chegou a ficar alagado, impedindo a circulação de veículos. A Avenida Brasil, que chegou a ficar totalmente interditada desde a madrugada na altura de Irajá, na Zona Norte, já tinha a pista em direção ao Centro liberada por volta das 11h. Já a pista central estava fechada no sentido Zona Oeste, com desvio para a pista lateral.

 

 

Fonte: G1

Corpo de desaparecida após veículo cair em cratera na MG-133 é encontrado

Foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros no fim da manhã desta quarta-feira (29), o corpo da mulher de 36 anos que despareceu nesta madrugada após o carro em que ela estava ter caído em uma cratera na MG-133, próximo ao município de Tabuleiro. De acordo com o marido da vítima, Pedro Neto, ela foi arrastada pela correnteza e não conseguiu voltar. O marido contou à reportagem que ela não sabia nadar. Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMR), o acidente ocorreu por volta de 2h da manhã. O asfalto que cedeu engoliu um caminhão, uma carreta e dois veículos de passeio. No caminhão estavam três pessoas do sexo masculino; na carreta estava o condutor; no primeiro carro havia somente o motorista; e no último veículo estava a mulher e o marido. Todos caíram na cratera. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a pista abriu cerca de 15 metros em virtude de um alagamento na via. A hipótese trabalhada pelos bombeiros é que um açude próximo ao local tenha se rompido e inundado a via. O Corpo de Bombeiros de Juiz de Fora foi acionado e levou os seis indivíduos do sexo masculino com ferimentos para hospitais em Ubá, Rio Pomba e Juiz de Fora. A PMR informou que ainda não tem mais dados das pessoas envolvidas no acidente.

 

Fonte: G1

Pagina 1 de 2

Please publish modules in offcanvas position.