Nacionais

Terça, 26 Dezembro 2017 16:41

Aos 107 anos, idosa viaja mais de 400 km para celebrar festas de final de ano com a família em Rio Branco

Avalie este item
(0 votos)

Seis gerações, muito amor e várias histórias para contar. Se o Natal significa família reunida, aqui está um bom exemplo. Aos 107 anos, Raimunda Feitoza já viveu mais de um século de abraços e carinhos nesta época especial. Sobre a data em que nasceu, ela é rápida em responder. “1910. Num domingo, às 5h da manhã”, comenta. E quem escuta a dona Raimunda conversar numa boa, imagina que a vida é mansa, né? Que nada! Apesar da idade, ela tem muita disposição e viajou mais de 400 quilômetros, de Tarauacá até Rio Branco, só pra estar com a família no Natal e no Ano Novo. As lembranças desses 107 anos de vida, são muitas. O casamento que durou mais de 67 anos está vivinho na memória. Perguntada com que idade se casou, ela diz: “Com 15 anos, mas mudaram para 16 que eu era muito nova ”, afirma dona Raimunda. Poder reunir a família de novo é motivo de felicidade pra ela. É a primeira vez que eles conseguem se reunir assim no Natal. "Amém. Muita felicidade, minha família tá toda aqui”, comemora . E olha, que no Natal deste ano não estava nem a metade da família. Eles já perderam as contas de quantos netos a dona Raimunda tem. São mais de 70. Tetranetos são 4, uma delas é a Júlia de 3 anos, que conheceu dona Raimunda na ocasião. Dos 15 filhos de dona Raimunda, só 5 estão vivos. Maria de Lourdes, de 82 anos, é uma delas. É com ela que dona Raimunda mora. O dia a dia de uma senhora de 107 anos, surpreende. “Tudo que se botar pra comer ela come bem, vai para o banheiro sozinha. A saúde dela é boa, melhor que a minha. Ela não tem diabete, não tem pressão alta nem nada. Eu tive derrame, tenho tudo”, conta a filha, Maria de Lourdes. Na hora de explicar quem é filho de quem e quem é neto de quem, não tem como evitar a confusão e as risadas. “Esta é filha desta, que é filha desta e é mãe desta”, tenta explicar a dona de casa Izemar Souza. A pedagoga Cilene Rocha é bisneta de dona Raimunda e foi ela quem organizou a reunião da família que era um sonho de vida. “Sempre tive um sonho de reunir a família porque nem todo mundo tem o privilégio que a nossa família tem. Seis gerações já. Para mim é uma honra ter a minha bisavó com 107 anos do nosso lado e se Deus quiser vai muito mais”, diz. Até ela se confunde quando fala do orgulho que tem da bisavó. “Se a minha vó está onde ela chegou é pelo amor e cuidado que minha bisavó...é porque é tanta vó, bisavó, fico um pouco perdida”, brinca.

 

Fonte:  G1

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Notícias mais lidas

Quem Somos

A Radio Nocaute tem como principal meta, tocar os sucessos mais antigos em sua programação, não deixando é claro de tocar os sucessos da atualidade. Nossa programação é feita com 60% de músicas antigas. Trabalhamos com muito carinho para oferecer uma programação diferenciada aos nossos ouvintes.
Saiba mais

 

Nossa Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades e promoções em seu e-mail!

Siga-nos pelo Facebook