Polícia

Polícia

Uma operação integrada das Unidades do Comando de Operações Especiais (COE), do 18ºBPM (Jacarepaguá) e da UPP Cidade de Deus na comunidade deixou pelo menos seis pessoas mortas e outras três feridas, nesta quinta-feira (3), na Zona Oeste do Rio. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde. Ainda segundo a SMS, os três feridos foram encaminhados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas seis outras pessoas já chegaram sem vida ao local. Pelo menos um dos feridos foi transferido para o Hospital Central da Polícia Milita. Um policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope) também foi baleado na perna e socorrido por outros policiais. A operação, que foi deflagrada para buscar e prender suspeitos envolvidos na morte de um capitão da Polícia Militar, ainda estava em andamento por volta das 17h. Pela manhã, duas das principais vias da cidade, a Linha Amarela e a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, foram interditadas por quase duas horas devido a trocas de tiros entre policiais e homens armados. Segundo a Polícia Militar, foram apreendidos dois fuzis e quatro pistolas.

 

Fonte:  G1

 

Um policial militar matou a ex-companheira e fugiu sequestrando a filha de 4 anos na noite desse sábado em Santos Dumont, na Zona da Mata. De acordo com a PM, Gilberto Novaes, de 35 anos, chegou armado na casa da vítima, Sthefania Ferreira, de 29, e disparou várias vezes contra ela. Logo depois, pegou a criança e saiu em um Pálio de cor cinza. Ele estava afastado de suas funções há cerca de três meses por conta de problemas psicológicos. De acordo com o boletim de ocorrência, Sthefania estava em casa, no Bairro Córrego de Ouro, com o namorado quando o militar chegou. O casal havia pedido comida e, quando o motoboy chegou para fazer a entrega, o namorado da vítima desceu. Ele contou à polícia que nesse momento Gilberto aproveitou a ocasião e saiu do carro com a arma da mão. O namorado da vítima tentou impedir, mas o militar afastado subiu as escadas da casa, encontrou Sthefania e disparou várias vezes. O namorado contou à polícia que se escondeu atrás de um poste ao ouvir os disparos.

 

Fonte:  O Tempo

A Polícia Militar do Estado de São Paulo decidiu expulsar o soldado Adriell Rodrigues Alves da Costa, de 35 anos, da corporação. A decisão, publicada no Diário Oficial, acontece pouco mais de seis meses após o soldado acusar os oficiais do 39° Batalhão da Polícia Militar de 'perseguição, tortura e homofobia'. O agora ex-militar tornou-se conhecido a partir de um vídeo gravado por ele e compartilhado em uma rede social. "Se algo acontecer com a minha vida, com a minha integridade física, a responsabilidade é do comandante do batalhão, da Polícia Militar e do Estado, que nada fizeram para apurar as minhas denúncias", dizia. Seis meses depois da publicação do vídeo, o comando da PM decidiu expulsá-lo por ter cometido "transgressão disciplinar de natureza grave". Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Costa agrediu uma equipe de saúde e outros policiais durante uma avaliação clínica marcada a ele pela corporação durante apuração dos fatos. O ex-militar, que é formado em odontologia, ficou indignado com a decisão. "Fiquei dentro da minha casa esperando atendimento médico durante oito dias. Eu ia entrar em deserção. Me convenceram a ir dizendo que eu ia para São Paulo. Era mentira". Ele, que acabou preso por 34 dias, diz ser vítima de um crime "forjado" pelo comando. Adriell também alega que a corporação nunca aceitou os atestados que apresentava. "Eles me faziam trabalhar engessado e medicado, pois meus laudos não valiam". O salário dele foi suspenso em novembro de 2017. "A cúpula da instituição nomeou um sargento [para defendê-lo] que é subordinado aos tiranos que me perseguiram e torturaram". Soldado há 9 anos, Costa iniciou a carreira na polícia lotado no 24º Batalhão, em Diadema, sendo transferido depois para Mauá, cidades da Região Metropolitana de São Paulo. Em 2011, teve as mãos lesionadas após um atropelamento durante o trabalho, e desde então, passou a atuar em funções administrativas na corporação. Em 2016, após decidir morar no litoral paulista, Costa passou a atuar no 39º Batalhão, em São Vicente. Segundo ele, desde o início, havia sido considerado “peso morto” por ter ido para a unidade com restrições médicas, retiradas posteriormente pelo médico do 6º Comando do Policiamento do Interior, responsável por todo litoral. A situação física se agravou ao lado da psicológica, já que ele acusava o batalhão de persegui-lo em razão da orientação sexual. "Eu escutei de um cabo que eu tinha que 'virar homem'. Ele me disse: 'Você não é homem. Você não está agindo como um homem'. Decididamente, um inferno começou na minha vida quando vim para a Baixada [Santista]", relatou, na época. Ainda na ocasião da divulgação do vídeo, a Secretaria de Segurança afirmou que estava prestando todo o apoio necessário ao policial.

 

Fonte: G1

A Polícia Militar e Rodoviária Federal procuram por quatro homens que invadiram e roubaram cerca de 75 kg de explosivos em uma pedreira em Governador Valadares (MG). De acordo com a polícia, os bandidos invadiram o local armados, renderam os funcionários e levaram um caminhão de um representante que fazia a entrega dos explosivos; a empresa fica às margens da BR-116. Ainda segundo os policiais, os bandidos fugiram por uma estrada que dá acesso a São Geraldo do Tumiritinga (MG), e abandonaram o caminhão na entrada da cidade. A PM e a PRF compareceram no local, mas os explosivos não foram encontrados; até a publicação desta matéria, os autores do roubo ainda não foram presos. Em maio de 2017 o local também foi alvo de três bandidos que chegaram encapuzados, arrombaram o portão e levaram 36 metros de estopim, 63 espoletas, 400 metros de cordel, quatro bananas de dinamite e 13 fragmentos de dinamite.

 

Fonte: G1

Um homem, de 37 anos, foi preso na BR-116 na tarde desta quinta-feira (1º), próximo a Teófilo Otoni (MG). Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o autor estava com mandado de prisão aberto da cidade de Vitória, no Espírito Santo, por um homicídio e vinha praticando roubos em cidades mineiras. A Polícia Rodoviária Federal chegou até ele após uma informação que o autor de um roubo em Itambacuri (MG) tinha fugido em uma moto azul sentido à rodovia federal. Os policiais rodoviários seguiram na direção da cidade, interceptando o suspeito e realizando a abordagem. Com o homem foi encontrado um revólver calibre 22 e quatro munições intactas; ele utilizava a arma para ameaçar as vítimas e realizar os roubos. Com ele também foram apreendidos dois celulares, uma bucha de maconha, balança de precisão e três óculos escuros; a moto que o homem estava tinha queixa de roubo, ocorrido no início da semana, em Teixeira de Freitas, na Bahia. O homem confessou a prática de crimes em Itambacuri, bem como o roubo da moto na cidade baiana. Ele contou ainda que após sair da Bahia, foi até Ipatinga, onde roubou um dos celulares apreendidos, voltando em direção ao Vale do Mucuri. A PRF descobriu ainda um mandado de prisão emitido contra o suspeito; o homem disse que foi condenado a 27 anos e que estava cumprindo pena na cidade de Juiz de Fora, mas conseguiu fugir da penitenciária em 2016.

 

Fonte:  G1

Página 1 de 5

Notícias mais lidas

Quem Somos

A Radio Nocaute tem como principal meta, tocar os sucessos mais antigos em sua programação, não deixando é claro de tocar os sucessos da atualidade. Nossa programação é feita com 60% de músicas antigas. Trabalhamos com muito carinho para oferecer uma programação diferenciada aos nossos ouvintes.
Saiba mais

 

Nossa Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades e promoções em seu e-mail!

Siga-nos pelo Facebook