Polícia

Polícia

Dois homens foram presos após assaltar um casa lotérica em São João do Manteninha (MG), na tade desta sexta-feira (26). Segundo a Polícia Miliar, foram recuperados R$ 14 mil, uma motocicleta furtada e duas armas de fogo foram apreendidas. De acordo com os militares, durante o assalto, um dos autores entrou no estabelecimento com uma arma em punho, enquanto o comparsa dava cobertura do lado de fora da agência. Na fuga, os criminosos depararam com uma viatura da Policia Militar Ambiental. Os militares iniciaram uma perseguição. Na sequência, os autores abandonaram a moto e entraram no mato, mas foram localizados pela PM. A dupla foi encaminhada para delegacia de Mantena (MG).

 

 

Fonte: G1

Um escrivão da Polícia Civil foi preso suspeito de ligação com um grupo especializado que atua o tráfico de drogas sintéticas, em Goiânia. De acordo com as investigações, o agente atuava como informante de um promotor de festas, também detido, apontado como fornecedor do entorpecente. A quadrilha agia, principalmente, em festas destinadas ao público formado por Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT). Conforme o titular da Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc), Alécio Moreira Júnior, os dois foram detidos na última sexta-feira (19). Ele explica que os dois detidos tinham uma relação íntima e que o escrivão atrapalhava a apuração da polícia. "Identificamos um policial civil que estava junto desses traficantes o tempo todo. Ele atrapalhava as investigações, pois passava informações para pessoas que eram investigadas, bem como identificou policiais dentro de uma festa e contou ao promotor", disse. Antes, outros seis integrantes do grupo já tinham sido detidos. Eles distribuíam drogas como a "Key", extraído de um anestésico de uso animal, e GHB, conhecida como "Gi". Ambas são alucinógenas e causam sérios prejuízos ao corpo humano. O início dos trabalhos se deu após uma denúncia anônima. Na casa do escrivão, foram encontradas porções de drogas. Segundo o delegado, ele confessou ser usuário e admitiu que revendia o material a "preço de custo" para amigos. A prisão de um agente da Polícia Civil surpreendeu até mesmo o delegado. Porém, segundo ele, serve para mostra que ninguém está imune à lei. "Infelizmente, é uma surpresa muito grande para nós porque ele sempre foi um profissional respeitado dentro da instituição. Foi um susto para todos nós. Mas não tínhamos outro caminho a seguir. Não é porque ele está na polícia que está imune de ser investigado e responder pelos seus atos", pondera.

 

 

Fonte: G1

A Polícia Federal indiciou criminalmente o ex-ministro Paulo Bernardo (Planejamento do governo Lula) na Operação Custo Brasil - investigação sobre suposto desvio de R$ 100 milhões de empréstimos consignados no âmbito do Planejamento, entre 2010 e 2015. A PF enquadrou Paulo Bernardo por integrar organização criminosa e corrupção passiva. O inquérito da Custo Brasil foi relatado pela PF na sexta-feira (22) e enviado à Justiça Federal. Agora, o Ministério Público Federal vai analisar o inquérito para denunciar ou não o ex-ministro e outros envolvidos na Custo Brasil, entre eles o ex-tesoureiro do PT, Paulo Ferreira. Paulo Bernardo foi preso na Operação Custo Brasil no dia 23 de junho, sob suspeita de recebimento de propinas de R$ 7,1 milhões do esquema Consist, empresa de software contratada em sua gestão em 2010 para administrar contratos de consignados com entidades de bancos e previdência - Associação Brasileira de Bancos Comerciais e para o Sindicato das Entidades de Previdência Privada. A Consist teria cobrado uma taxa em valor quatro vezes superior ao de mercado. A Custo Brasil é um desdobramento da Pixuleco II que, em agosto de 2015, descobriu o esquema dos consignados. Um dos alvos da Pixuleco II, o advogado Alexandre Romano, o Chambinho, fez delação premiada e revelou os bastidores do caso Consist. Valores obtidos ilicitamente teriam abastecido a campanha de Gleisi Hoffmann (PT-PR), mulher de Paulo Bernardo, ao Senado em 2010. A Custo Brasil prendeu também o advogado Guilherme Gonçalves, de Curitiba, que teria realizado repasses do esquema Consist para o ex-ministro e para bancar despesas eleitorais de Gleisi. Gonçalves nega elo com o esquema. Seis dias depois de sua prisão - decretada pelo juiz Paulo Bueno de Azevedo, da 6.ª Vara Criminal Federal em São Paulo -, o ex-ministro de Lula e também de Dilma (Comunicações) foi solto por ordem do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal. Na semana passada, Paulo Bernardo foi ouvido na PF e negou ter recebido propinas do esquema dos consignados. Ele afirma que não existe contrato da Consist com o Ministério que dirigiu. "O Ministério do Planejamento nunca contratou a Consist." Defesa Em nota, a advogada Verônica Abdalla Sterman afirmou: "O ex-ministro Paulo Bernardo reitera que não participou ou teve qualquer ingerência na celebração ou manutenção do acordo de cooperação técnica celebrado autonomamente entre a Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e as associações de Bancos e Previdência (ABBC e SINAPP). Também reitera que não recebeu qualquer quantia da Consist, direta ou indiretamente."

 

 

Fonte:  Uol

Um caminhão com cerca de uma tonelada de maconha foi apreendido pela Polícia Rodoviária na manhã desta quinta-feira (21), na Avenida Presidente Vargas, ao lado da Rodovia Washington Luís (SP-310), em Araraquara (SP). Segundo a polícia, militares em patrulhamento desconfiaram do veículo com placas de Campo Grande (MS) que estava estacionado na avenida e resolveram abordar o motorista. Ao notarem que o condutor estava nervoso, os policiais resolveram abrir o baú do caminhão e encontraram a droga atrás de algumas cadeiras. O motorista foi preso e o caso foi encaminhado para a Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Araraquara.

 

 

Fonte:  G1

Criminosos jogaram pela janela do carro uma sacola contendo R$ 49,5 mil, no meio da rua, durante uma perseguição policial no bairro Independência, em Cachoeiro do Itapemirim. O caso aconteceu na sexta-feira (15). De acordo com informações da Polícia Militar, em ronda preventiva os militares se depararam com um veículo Gol, de cor preta. No momento em que o motorista viu a viatura, tentou fugir em alta velocidade. Durante a perseguição, a polícia deu ordem de parada, mas ela não foi acatada pelo motorista do veículo, que no trajeto realizou diversas manobras perigosas. Um dos passageiros arremessou uma sacola, que foi recolhida pelos militares. Na sacola estava a quantia de R$ 49.521,00 em dinheiro. Momentos depois, os militares conseguiram abordar o veículo e os três ocupantes foram encaminhados à delegacia de Infrações Penais e Outras (Dipo) de Cachoeiro de Itapemirim. No carro foi encontrada uma pequena quantidade de maconha. De acordo com a delegacia, dos três ocupantes do veículo, dois foram presos por associação ao tráfico e encaminhados para o Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro. A mulher foi liberada.

 

 

Fonte:  G1

Página 4 de 5

Notícias mais lidas

Quem Somos

A Radio Nocaute tem como principal meta, tocar os sucessos mais antigos em sua programação, não deixando é claro de tocar os sucessos da atualidade. Nossa programação é feita com 60% de músicas antigas. Trabalhamos com muito carinho para oferecer uma programação diferenciada aos nossos ouvintes.
Saiba mais

 

Nossa Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades e promoções em seu e-mail!

Siga-nos pelo Facebook