Ver todas Notícias

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, rejeitou nesta quarta-feira (11) mais 143 habeas corpus (pedidos de liberdade) para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva impetrados por cidadãos. Nesta terça (10), ela já havia rejeitado um dos pedidos desse tipo, em decisão na qual fez críticas ao desembargador Rogério Favreto, que mandou soltar Lula no domingo - a decisão de Favreto foi depois revertida pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Segundo Laurita Vaz, "o Poder Judiciário não pode ser utilizado como balcão de reivindicações ou manifestações de natureza política ou ideológico-partidárias". Ainda está nas mãos da ministra um pedido da Procuradoria Geral da República para que ela decida de quem é a competência para analisar pedidos de liberdade de Lula - o pleito foi feito após decisões divergentes de desembargadores do TRF-4, e a PGR quer que só o STJ possa analisar habeas corpus ao ex-presidente. De acordo com Laurita Vaz, as petições eram padronizadas e tinham, inclusive, o mesmo título "Ato Popular 9 de julho de 2018 - Em defesa das garantias constitucionais". Foram apresentadas em papel e em curto espaço de tempo, ocupando o trabalho de vários servidores. A assessoria do STJ informou que trata-se de um tipo de formulário com espaço em branco para nome, RG e assinatura – os impetrantes completaram as lacunas e assinaram. Segundo a presidente do STJ, os pedidos eram de pessoas que não integram a defesa técnica de Lula. Ela disse na decisão que Lula está assistido "por renomados advogados, que estão se valendo de todas as garantias e prerrogativas". Para a ministra, todo cidadão tem o direito de peticionar à Justiça, mas ressalvou que o habeas corpus não é o meio adequado para "atos populares". Laurita Vaz também disse que o cumprimento da pena por parte do ex-presidente já foi determinado tanto pelo STJ quanto pelo Supremo Tribunal Federal. "Não merece seguimento o insubsistente pedido de habeas corpus, valendo mencionar que a questão envolvendo a determinação de cumprimento provisório da pena em tela já foi oportunamente decidida por este Superior Tribunal de Justiça e pelo Supremo Tribunal Federal", disse.

 

Fonte:  G1

Policiais militares ajudaram no parto de uma jovem de 16 anos na manhã desta quarta-feira (11), na Praça da Estação, no Centro de Fortaleza. A equipe de soldados que fazia a patrulha de rotina na área viu a mãe sentido dores e contrações e ajudou a dar à luz. A criança, batizada de Tiago, foi levada a um hospital em seguida e tem bom estado de saúde. Para o soldado Alex Leite, que segurou Tiago logo após o parto, o momento será sempre lembrado. "Foi algo indescritível, eu não sou pai ainda, mas para os meus companheiros que já são a sensação é do nascimento de seu próprio filho", conta. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) havia sido acionado para prestar assistência e levar a mãe a uma unidade de saúde, mas a mulher acabou tendo o bebê antes de a equipe chegar. Esse foi o primeiro parto realizado pela a equipe de policiais militares que atua com Alex. O soldado informa que, durante a preparação profissional, eles recebem treinamento de primeiros socorros. Durante o procedimento realizado nesta quarta, os policiais receberam orientações por telefone do Samu. Mãe e bebê foram levados ao Hospital César Cals e passam bem. A equipe espera poder acompanhar o crescimento de Tiago.

 

Fonte:  G1

O caso do acidente em que uma mulher foi atropelada pelo marido sofreu uma reviravolta nesta sexta-feira (6), em Barretos (SP). Segundo o delegado Antônio Alício Simões Júnior, a investigação será tratada como tentativa de feminicídio e deverá ser feita pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). De acordo com o delegado, familiares de Letícia Pierini, de 26 anos, afirmam que ela foi alvo de uma tentativa de assassinato porque havia terminado o relacionamento com o suspeito há alguns dias. “Eu ouvi a mãe dela e ela fala que o marido estava viciado em cocaína e atentou contra a vida dela”, afirma. Letícia ficou gravemente ferida e está internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da Santa Casa da cidade, mas já está consciente. Segundo a polícia, o suspeito, Welington dos Santos, de 31 anos, sofreu ferimentos leves e teve alta do hospital. Ele não foi localizado para comentar o assunto. Irmão de Letícia, o operador de máquinas Marcos Rogério da Silva Pierini afirma que a jovem foi atropelada pelo marido quando voltava do trabalho. O caso havia sido registrado pela polícia na quarta-feira (4) como lesão corporal culposa. Ele acredita que Santos tenha jogado o carro dele para cima da moto da irmã. Os dois foram encontrados feridos na estrada vicinal Pedro Vicentini, no bairro Los Angeles, e socorridos. Marcos afirma que Letícia seguia o caminho do trabalho para a casa da mãe, onde passou a morar desde que deixou o marido após uma discussão. “No domingo (1º), ele chegou em casa drogado. Os dois brigaram e ela saiu de casa e veio para a casa da minha mãe. Ele usa cocaína. A gente sempre pedia para ela largar dele e ela dizia que não sabíamos da missa um terço”, diz. De acordo com o operador de máquinas, Santos não aceitava o fim do relacionamento. No dia do acidente, ele enviou uma foto para Letícia com vários pinos de cocaína e afirmou que tentaria se matar, caso ela não voltasse para casa. “Ele disse que ia tirar a vida, mas ela achou que ia ser a vida dele. Ela só não sabia que seria a dela”, afirma. Junto há 11 anos, o casal tem dois filhos, de 4 e 9 anos. Marcos afirma que a irmã trabalha como atendente em uma gráfica para sustentar as crianças, já que o marido não ajudava com as despesas. "Minha irmã trabalha muito para sustentar os filhos porque o dinheiro dele sumia logo depois que ele recebia. Ninguém via para onde ia o dinheiro dele." A família quer que o suspeito seja preso, uma vez que a jovem teme um novo ataque. “Minha irmã não quer ficar sozinha. Ele está solto. Quando os dois brigavam, ele sempre dizia que iria embora para o Mato Grosso. Quem garante que ele não vá agora e fique livre?”, afirma.

 

Fonte:  G1

As fortes chuvas que atingem o Japão já deixaram 38 mortos, quatro feridos graves e 47 desaparecidos, de acordo com balanço divulgado pela Associated Press neste sábado (7). A Agência Meteorológica de Japão (JMA) mantém o alerta máximo para inundações e riscos de deslizamentos de terra nas províncias de Kyoto, Hyogo, Okayama e Gifu. Outras 28 das 47 províncias japonesas estão em alerta e as autoridades já ordenaram a retirada de aproximadamente 4 milhões de pessoas das áreas de risco. A região oeste do país é onde foram registradas as 21 vítimas, entre 40 e 90 anos, segundo os últimos números da polícia e corpos de bombeiros divulgados pela emissora pública "NHK". A maioria dos mortos foi arrastada pelas enchentes dos rios, embora alguns, como uma mulher nonagenária da cidade de Kinnoyama, em Hiroshima, morreu depois que sua casa desabou devido a um deslizamento de terra, segundo a Efe. Além das mortes, outras 47 pessoas estão desaparecidas, principalmente nas províncias de Okayama, Hiroshima e Ehime, onde equipes de resgate ampliaram as buscas. Outras 28 das 47 províncias do Japão estão em alerta e as autoridades ordenaram evacuação de aproximadamente 4 milhões de pessoas. Cerca de 650 membros das forças de segurança participam dos trabalhos de resgate, e outros 21 mil estão preparados para serem deslocados, disse o ministro da Defesa, Itsunori Onodera. A "NHK" transmite ao vivo imagens de localidades inundadas pelos transbordamentos dos rios, casas em encostas montanhosas parcialmente enterradas pela terra e pontes caídas. A agência meteorológica japonesa advertiu que "existe risco de acidentes relacionados com deslizamentos de terra, mesmo que a chuva pare" e pediu que a vigilância seja mantida em áreas montanhosas ou perto de rio.

 

Fonte:  G1

Os pastores evangélicos Alencar Santos Buriti e Osório José Lopes Junior foram presos, na sexta-feira (18), suspeitos de obter R$ 15 milhões aplicando golpes em fiéis de Goianésia, na região central de Goiás. Segundo a Polícia Civil, a dupla alegava que havia ganhado um título de R$ 1 bilhão, mas precisava reunir fundos para conseguir recebê-lo. Um terceiro suspeito também foi detido. Em entrevista, o delegado Marco Antônio Maia Júnior, responsável pelas investigações, afirmou que para receber o dinheiro das vítimas, os religiosos prometiam a quem colaborasse, lucros de até 10 vezes do valor aplicado. Ele revelou que moradores chegaram a vender a própria casa para ajudar os pastores, e fazer o investimento. “Eles alegavam, e continuam com esta versão, que ganharam o título bilionário depois de fazer orações para o filho de um fazendeiro rico de Roraima, que teria alcançado a graça desejada. Os pastores afirmavam que precisavam agalhar fundos para montar um escritório de cobrança e receber os recursos”. advogado de defesa dos religiosos, Edemundo Dias, disse por telefone ao G1 que teve acesso ao inquérito na sexta-feira e que ainda está o analisando. Dias afirmou que os clientes colaboraram com as investigações, por meio de depoimentos, e que, do ponto de vista da defesa, não há motivo para eles permanecerem presos. “Estamos examinando o inquérito. Eles alegam que tem um crédito e tem um contrato de confidencialidade. Além disto, afirmam que as pessoas que emprestaram, emprestaram conscientemente, ou seja, eles não enganaram ninguém. Vamos solicitar a revogação da prisão, para que eles respondam em liberdade e possam saldar a dívida com os credores”, disse o advogado. Os pastores Alencar e Osório foram presos no âmbito da Operação Habacuque, deflagrada na manhã de sexta-feira, em Goianésia e Leopoldo de Bulhões, na Região Metropolitana de Goiânia. Além dos líderes religiosos, um fiel, identificado por Adilson Ney Lopes, foi preso suspeito de ajuda-los no esquema. Segundo o delegado, até agora foram identificadas 30 vítimas. Há a suspeita de que o esquema tenha feito vítimas em outros estados da Federação. “Esta foi uma etapa inicial. Depois do caso, já estávamos recebendo informações de vítimas em Uruaçu, outros municípios goianos, e, inclusive, fora do estado. São pessoas que venderam suas próprias casas, fazendas e pequenas propriedades rurais da suas famílias, e entregaram tudo nas mãos dos pastores”, revelou. A mulher do pastor Osório chegou a ser detida, mas foi liberada após ser ouvida pela polícia. Conforme a corporação, o trio vai responder por associação criminosa, estelionato e lavagem de dinheiro. A investigação apontou que os dois pastores ostentavam dinheiro e poder, em Goianésia. Segundo o delegado, o pastor Osório morava em uma casa de luxo na cidade, e chegava a alugar helicóptero para viajar da cidade para outras regiões. A Polícia Civil identificou, por meio da quebra do sigilo bancário, que os religiosos movimentaram R$ 20 milhões no banco. “É uma quantia vultuosa que ainda não conseguimos identificar onde foi parar. Mas eles tinham uma conduta de muita ostentação na cidade. Um deles chegava a ter 5 seguranças dentro de casa. Eles fundaram uma empresa fictícia com capital de R$ 1 bilhão. Enfim, não só criaram uma situação de que tinham muito dinheiro, como mantinham tudo isso com recursos dos fieis”, explicou. A Operação Habacuque, cujo termo vem do nome de um texto bíblico que fala sobre pessoas que lucram às custas do próximo, começou depois que alguns fiéis, preocupados por não terem recebido o dinheiro no tempo prometido, resolveram procurar a delegacia. Segundo o delegado, os golpes foram aplicados entre os anos de 2015 e 2017, mas só no último ano os fiéis começaram a procurar a delegacia. Ele acredita que agora, com a repercussão da prisão dos dois, a polícia deve identificar mais vítimas. “Apenas dois anos depois de terem investido, e sem receber o retorno, ficaram preocupados, porque tinham apostado tudo naquilo na esperança de terem lucros, então vieram procurar a gente e começamos a apurar. Com o andar das investigações e quebra do sigilo, estivemos diante de todo este golpe aplicado aos fiéis”, afirmou.

 

Fonte:  G1

Depois de estrear com derrota por 4 a 2 para o Racing-ARG e de passar em branco contra Vasco e Universidad de Chile (0 a 0 em ambas as partidas) no turno do Grupo 5 da Copa Libertadores, o Cruzeiro acionou o modo “massacre”, goleou chilenos (7 a 0) e vascaínos (4 a 0) no returno da chave e se tornou o ataque mais positivo da competição até aqui. Só nos dois últimos jogos a Raposa marcou 11 gols, que somados aos dois tentos da primeira partida somam 13 no total. Isso em cinco partidas disputadas até aqui. O Cruzeiro está à frente do Grêmio (10 gols no Grupo 1) e Racing-ARG (10 gols no Grupo 5), ambos os clubes com quatro jogos; do Atlético Nacional-COL (9 gols no Grupo 2) também com quatro jogos; do Palmeiras que também com um jogo a menos do que a Raposa fez oito gols no Grupo 8. Com os dois gols em cima do Vasco na noite desta quarta-feira (3) o atacante Sassá se tornou o artilheiro do Cruzeiro na Copa Libertadores. Já são quatro tentos marcados (também marcou dois contra a La U). Thiago Neves aparece logo atrás com três gols, Arrascaeta tem dois, Robinho, Léo, Rafinha e Rafael Sóbis, com um gol cada completam a lista de gols da Raposa no torneio continental.

 

Fonte:  Hojeemdia

 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reembolsou os US$ 130 mil que seu advogado Michael Cohen pagou à estrela pornô Stormy Daniels por seu silêncio sobre um relacionamento com o magnata, admitiu nesta quarta-feira (2) o ex-prefeito de Nova York e advogado do presidente, Rudy Giuliani. No Twitter, Trump confirmou o reembolso. "Este dinheiro pago pelo advogado (...) o presidente reembolsou ao longo de vários meses", disse Giuliani, que recentemente se somou à equipe de advogados de Trump. Em entrevista à Fox News, Giuliani destacou que o pagamento não violou as regras que orientam o financiamento de campanha, porque "não envolveu dinheiro de campanha". "Foi perfeitamente legal". Trump negava ter conhecimento do pagamento a Daniels, mas na semana passada admitiu que Cohen chegou a um acordo de confidencialidade com a mulher em seu nome. Nesta quinta, o presidente escreveu uma série de tuítes em que diz que confirma o reembolso a Cohen e diz que ele não usou fundos de campanha.

 

Fonte:  G1

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) validou nesta quinta-feira (3) uma regra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que proíbe o uso de telemarketing para fazer propaganda eleitoral. Fixada em 2014 pelo TSE, a proibição foi contestada no STF pelo Avante. O partido alegou que a norma fere a liberdade de expressão dos candidatos. O julgamento foi iniciado em abril e, na ocasião, o relator, ministro Edson Fachin, votou em favor da proibição, sob o argumento de que não há qualquer censura na medida. "Não há nem pode haver censura de conteúdo, em hipótese alguma. Trata-se apenas de uma restrição constitucionalmente assegurada quanto ao meio do qual se vale para proteger a intimidade e a vida privada", explicou o ministro na sessão desta quinta. Fachin foi acompanhado por outros sete ministros:

 

Fonte:  G1

 

Uma operação integrada das Unidades do Comando de Operações Especiais (COE), do 18ºBPM (Jacarepaguá) e da UPP Cidade de Deus na comunidade deixou pelo menos seis pessoas mortas e outras três feridas, nesta quinta-feira (3), na Zona Oeste do Rio. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde. Ainda segundo a SMS, os três feridos foram encaminhados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas seis outras pessoas já chegaram sem vida ao local. Pelo menos um dos feridos foi transferido para o Hospital Central da Polícia Milita. Um policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope) também foi baleado na perna e socorrido por outros policiais. A operação, que foi deflagrada para buscar e prender suspeitos envolvidos na morte de um capitão da Polícia Militar, ainda estava em andamento por volta das 17h. Pela manhã, duas das principais vias da cidade, a Linha Amarela e a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, foram interditadas por quase duas horas devido a trocas de tiros entre policiais e homens armados. Segundo a Polícia Militar, foram apreendidos dois fuzis e quatro pistolas.

 

Fonte:  G1

 

O prédio vizinho ao edifício Wilton Paes de Almeida, que desmoronou no Largo do Paissandu, no Centro de São Paulo, corre risco de desabar, informou nesta quinta-feira (3) o major do Corpo de Bombeiros que comanda as operações de buscas nos escombros. Técnicos da Defesa Civil avaliaram que sua estrutura está condenada. Segundo o secretário da Segurança Pública, Mágino Alves, equipamentos dos bombeiros detectaram movimentação sensível no prédio, que fica na Rua Antônio de Godói, números 8 e 26. As máquinas e os trabalhadores foram retirados às pressas da área próxima ao edifício, que foi isolada. Na região dos entulhos, porém, os trabalhos com retroescavadeiras seguem normalmente. Oficialmente, quatro pessoas estão desaparecidas. Parentes de outros moradores foram até o local procurar por informações. O prédio também foi atingido pelo incêndio iniciado no Wilton Paes de Almeida. A lateral dele apresentou rachaduras e um buraco se abriu após o desmoronamento.

 

Fonte: G1

Página 1 de 18

Notícias mais lidas

Quem Somos

A Radio Nocaute tem como principal meta, tocar os sucessos mais antigos em sua programação, não deixando é claro de tocar os sucessos da atualidade. Nossa programação é feita com 60% de músicas antigas. Trabalhamos com muito carinho para oferecer uma programação diferenciada aos nossos ouvintes.
Saiba mais

 

Nossa Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades e promoções em seu e-mail!

Siga-nos pelo Facebook