• Whatsapp:
  • (33)9.9913-6056

Portuguese English Spanish
  • 1

    1

  • 2

    2

  • 3

    3

Suspeitos de matar brasileira nos EUA usaram vídeos de crime para extorquir parentes

Os dois homens presos no dia 22 de fevereiro, em Vitória, suspeitos de matar uma mulher nos Estados Unidos, usaram vídeos do crime para extorquir os próprios familiares. Reportagem do Fantástico mostra que eles utilizaram também fotografias e áudios do assassinato de Ana Paula Feitosa dos Santos Braga, de 24 anos. De acordo com a Polícia Federal, Thiago Philipe Souza Bragança e Walderson Junior da Silva confessaram o crime. O caso é investigado pela Polícia Federal e o corpo da jovem ainda não foi encontrado. Ana Paula morava em Los Angeles e estava desaparecida desde o começo de fevereiro. Para a Polícia Federal, Thiago e Walderson mataram a jovem estrangulada com um fio de energia. Depois, enrolaram corpo em um colchonete e colocaram no porta-malas do carro dela. Vídeos também mostram que, após o assassinato, eles zombaram da vítima e mostraram o celular dela. Uma denúncia chegou à Polícia Federal, que analisou imagens das câmeras de segurança perto do prédio de Ana Paula. A polícia viu que, no dia do crime, ela entrou no prédio com dois homens e depois de algumas horas eles desceram carregando apenas o edredom, usado para esconder o corpo. Após o crime, os suspeitos abandonaram o carro de Ana Paula e foram para o México, de ônibus. Lá, pegaram um voo para o Brasil, onde chegaram no dia 6 de fevereiro. Eles foram para o interior do Espírito Santo, onde têm familiares. Após ser preso, Thiago falou que eles estavam usando drogas no dia do crime e que agiram para se defender, porque Ana Paula estaria com uma faca. O carro dela foi encontrado semana passada, no estacionamento de um cassino em outro estado americano, Oklahoma. Nos Estados Unidos, Ana Paula trabalhava em uma empresa de aplicativo de transporte. A mãe da vítima, Delma, mora na cidade de Mateus Leme (MG). Ela fez um vídeo pedindo ajuda para trazer o corpo da filha para o Brasil. "O meu sonho era que eles fossem pagar esse crime lá onde eles cometeram", disse Delma ao Fantástico.

 

Fonte: G1

Please publish modules in offcanvas position.