• Whatsapp:
  • (33)9.9913-6056

Portuguese English Spanish
  • 1

    1

  • 2

    2

  • 3

    3

Empresário se mata durante evento com ministro e governador

O Simpósio de Oportunidades – Novo Cenário da Cadeia do Gás Natural em Sergipe, que acontecia na manhã desta quinta-feira (4), em um hotel da Orla da Atalaia, na Zona Sul de Aracaju, foi cancelado após a morte do empresário do setor de cerâmica Sadi Gitz. O evento contava com a presença do governador Belivaldo Chagas e do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. O empresário estava na segunda fila da plateia e, logo após o pronunciamento do governador, sacou uma arma e atirou contra si. O próximo a falar seria o ministro de Minas e Energia. Antes de sair do hotel, o governador Belivaldo Chagas falou sobre o ocorrido e confirmou o cancelamento do simpósio. “Sabíamos que Sadi estava com problemas de ordem financeira, por problemas com a sua empresa. Ele vinha conversando com a Sergas, e lamentavelmente num momento de fraqueza ele cometeu o suicídio. Eu quero prestar a minha solidariedade à família, sei que não é fácil receber uma notícia dessa, mas a vida segue e por conta disso suspendemos o evento. Seria um desrespeito a ele continuar”, disse. Após perícias da Polícia Criminalística no local da ocorrência, o corpo de Sadi Gitz foi levado ao Instituto Médio Legal (IML) por volta das 11h. De acordo com a diretora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a delegada Thereza Simony, o tiro foi na parte superior da cabeça e a arma utilizada, um revólver calibre 38, pertence ao empresário. Ela disse ainda que pessoas que estavam no evento e parentes do empresário serão ouvidos pela polícia. A Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese) informou que o velório do empresário será realizado nesta sexta-feira (5), no Cemitério Colina da Saudade. No sábado (6), o corpo segue para a cidade de Alagoinhas (BA), onde será cremado. O empresário gaúcho Sadi Paulo Castiel Gitz nasceu em Porto Alegre, no dia 13 de novembro de 1948. Graduado em matemática, engenharia mecânica e administração, chegou a Sergipe na década de oitenta. Sadi atuou na Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT) e na Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb). Também foi presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese). Mas a atividade de maior destaque ao longo das últimas décadas foi na fábrica de cerâmica Escurial, com sede na cidade de Nossa Senhora do Socorro. A fábrica começou a operar em 1993 e se tornou uma importante unidade de produção do setor. Porém, nos últimos anos, a situação econômica da empresa piorou. No ano passado, foram realizadas demissões. E em maio deste ano, com os reflexos da crise econômica do país, foi iniciado o processo de hibernação, com a perda de mais de 600 empregos diretos e indiretos.

 

Fonte: G1

Please publish modules in offcanvas position.