• Whatsapp:
  • (33)9.9913-6056

Portuguese English Spanish
  • 1

    1

  • 2

    2

  • 3

    3

Polícia indicia vigilantes prisionais suspeitos de estuprar detentas em Pontalina-GO

Dois vigilantes prisionais temporários suspeitos de estuprar detentas da Unidade Prisional de Pontalina, no sul de Goiás, foram indiciados pela Polícia Civil nesta quarta-feira (17). O caso aconteceu no mês passado, mas as investigações começaram no último dia 5, após o diretor da cadeia comunicar o caso à delegacia da cidade. Segundo o delegado Patrick Carniel, o então vigilante Túlio Rosa da Silva violentou sexualmente uma presa, e Leandro Santana Rezende Chaves uma outra. “Os dois já tiveram a prisão preventiva decretada e estão foragidos”, disse Patrick. A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que os dois vigilantes foram demitidos após a denúncia e que providenciou atendimento psicológico para as vítimas. “No dia 15 de junho, por volta das 23h, eles chamaram as duas, que têm entre 25 e 30 anos, e disseram que precisavam conversar com elas separadamente sobre um desentendimento que as duas tiveram mais cedo. Cada um foi para uma sala com uma delas e cometeu o estupro”, contou o delegado. Ainda segundo Patrick, no início do mês chegou ao conhecimento da Polícia Civil o caso e as vítimas foram ouvidas. Segundo relataram, os vigilantes prisionais temporários as teriam ameaçado de instaurar procedimento administrativo disciplinar caso contassem sobre o crime para alguém. “Elas ficaram com medo de responder ao procedimento e não contaram sobre o ocorrido”, informou o delegado. As investigações apontam que o crime foi descoberto pelos colegas de trabalho dos vigilantes, que alertaram a direção do presídio, que por sua vez avisou a polícia. O delegado informou também que após registro da ocorrência e os depoimentos na delegacia, as vítimas foram encaminhadas ao Instituto Médico Legal de Morrinhos, onde o médico legista atestou o estupro. “A gente tentou intimar os autores, mas, desde que tomaram conhecimento das investigações, eles fugiram”, afirmou Patrick. Diante da não localização dos suspeitos, a Polícia Civil pediu a prisão preventiva dos autores, que foi acatado pela Justiça. Para Patrick, é importante a colaboração das pessoas para a localização dos foragidos, já que a polícia segue as buscas por eles. Qualquer informação sobre os dois pode ser passada pelo telefone 197, da Polícia Civil.

 

Fonte: G1

Mulher empurra Padre Marcelo Rossi de altar durante missa

Uma mulher invadiu o altar e empurrou o padre Marcelo Rossi durante uma missa em Cachoeira Paulista neste domingo (14). A mulher furou a segurança, invadiu o palco durante a celebração que acontecia na Canção Nova e empurrou o padre de cima da estrutura. Apesar da queda, ele não ficou ferido e a mulher foi contida pela Polícia Militar. O padre estava no local para a missa de encerramento do acampamento ‘Por Hoje Não’ (PHN). Por volta das 14h50 a mulher, que participava do evento, conseguiu furar a segurança, invadiu o palco por trás e empurrou o padre, que caiu da estrutura. No momento, pelo menos 50 mil pessoas participavam da celebração. Apesar da queda, o padre voltou ao palco minutos depois e continuou a celebração. De acordo com a Polícia Militar, a mulher está sendo encaminhada para a delegacia de Lorena para o registro do caso. A PM informou que a ocorrência está sendo feita pela Canção Nova porque o Padre Marcelo Rossi decidiu não registrar a agressão. A polícia informou que a mulher tem 32 anos e que fazia parte de um grupo que veio do Rio de Janeiro para o evento. Os acompanhantes informaram à PM que ela sofre de transtornos mentais. Em nota a Canção Nova informou que lamenta o incidente ocorrido com o padre Marcelo Rossi durante a missa e informou que ele foi atendido pela equipe médica do evento e, após ser liberado, seguiu com a celebração até o fim.

 

Fonte: G1

Empresário se mata durante evento com ministro e governador

O Simpósio de Oportunidades – Novo Cenário da Cadeia do Gás Natural em Sergipe, que acontecia na manhã desta quinta-feira (4), em um hotel da Orla da Atalaia, na Zona Sul de Aracaju, foi cancelado após a morte do empresário do setor de cerâmica Sadi Gitz. O evento contava com a presença do governador Belivaldo Chagas e do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. O empresário estava na segunda fila da plateia e, logo após o pronunciamento do governador, sacou uma arma e atirou contra si. O próximo a falar seria o ministro de Minas e Energia. Antes de sair do hotel, o governador Belivaldo Chagas falou sobre o ocorrido e confirmou o cancelamento do simpósio. “Sabíamos que Sadi estava com problemas de ordem financeira, por problemas com a sua empresa. Ele vinha conversando com a Sergas, e lamentavelmente num momento de fraqueza ele cometeu o suicídio. Eu quero prestar a minha solidariedade à família, sei que não é fácil receber uma notícia dessa, mas a vida segue e por conta disso suspendemos o evento. Seria um desrespeito a ele continuar”, disse. Após perícias da Polícia Criminalística no local da ocorrência, o corpo de Sadi Gitz foi levado ao Instituto Médio Legal (IML) por volta das 11h. De acordo com a diretora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a delegada Thereza Simony, o tiro foi na parte superior da cabeça e a arma utilizada, um revólver calibre 38, pertence ao empresário. Ela disse ainda que pessoas que estavam no evento e parentes do empresário serão ouvidos pela polícia. A Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese) informou que o velório do empresário será realizado nesta sexta-feira (5), no Cemitério Colina da Saudade. No sábado (6), o corpo segue para a cidade de Alagoinhas (BA), onde será cremado. O empresário gaúcho Sadi Paulo Castiel Gitz nasceu em Porto Alegre, no dia 13 de novembro de 1948. Graduado em matemática, engenharia mecânica e administração, chegou a Sergipe na década de oitenta. Sadi atuou na Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT) e na Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb). Também foi presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese). Mas a atividade de maior destaque ao longo das últimas décadas foi na fábrica de cerâmica Escurial, com sede na cidade de Nossa Senhora do Socorro. A fábrica começou a operar em 1993 e se tornou uma importante unidade de produção do setor. Porém, nos últimos anos, a situação econômica da empresa piorou. No ano passado, foram realizadas demissões. E em maio deste ano, com os reflexos da crise econômica do país, foi iniciado o processo de hibernação, com a perda de mais de 600 empregos diretos e indiretos.

 

Fonte: G1

Ônibus de Gusttavo Lima se envolve em acidente com moto na BR-060, em Anápolis-GO

Um ônibus que transportava a equipe técnica do cantor Gusttavo Lima se envolveu em um acidente com uma moto, por volta das 14h30 desta sexta-feira (28), no km 97, da BR-060, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. A moto ficou embaixo do ônibus após ser arrastada por cerca de 20 metros. De acordo com a a Polícia Rodoviária Federal, o cantor não estava no ônibus e apenas o motociclista teve ferimentos. “O ônibus seguia sentido Anápolis-Goiânia, quando o motociclista, de 25 anos, fez uma conversão na frente do ônibus. O motociclista bateu com o capacete no para-brisa, que quebrou, caindo do lado do ônibus e a moto foi arrastada por cerca de 20 metros”, contou o inspetor Newton Morais, assessor de comunicação da PRF. Ainda segundo ele, o motociclista estava consciente e teve escoriações e foi socorrida por uma equipe da Triunfo Concebra, concessionária que administra a rodovia, para o Hospital Estadual de Urgências de Anápolis Dr. Henrique Santillo (Huana). O número de quantas pessoas estavam no ônibus não foi informado. Tanto o motorista do ônibus quanto o motociclista passaram pelo teste do bafômetro e nenhuma alteração foi constatada, segundo a PRF. Por conta do acidente, o trânsito chegou a ficar lento no sentido Anápolis X Goiânia.

 

 

Fonte: G1

Acidente com ônibus de turismo deixa 10 mortos em rodovia de SP

Um acidente com um ônibus de turismo que tombou e atingiu outros cinco carros e uma moto deixou 10 mortos - cinco mulheres, três homens e duas crianças - e 51 feridos na noite deste domingo (9) na rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123), em Pindamonhangaba (SP). As causas do acidente serão apuradas, mas uma das vítimas que estava no ônibus contou ao G1 que o veículo parecia estar desgovernado. O coletivo transportava moradores do litoral sul de São Paulo, que voltavam de uma excursão de um dia em Campos do Jordão. O passeio era uma celebração antecipada do Dia dos Namorados. Um homem e a filha, que estavam em um dos carros atingidos, estão entre as vítimas fatais. As demais vítimas estariam no ônibus. Yango Mange, de 25 anos, foi o primeiro morto no acidente a ser reconhecido por parentes no Instituto Médico Legal. O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegaram a afirmar que 17 pessoas tinham morrido no local do acidente, mas corrigiram a informação posteriormente. Pelas redes sociais, o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), prestou solidariedade às vítimas. Os bombeiros foram acionados por volta de 21h30 para atender a ocorrência próximo a um dos túneis da rodovia, logo após o trevo de acesso a Santo Antônio do Pinhal, na altura do km 31,6. Segundo testemunhas, o coletivo desgovernado, aparentemente sem freio, tombou e atingiu outros cinco carros e uma moto. A empresa dona do ônibus, que levava ao menos 30 passageiros, é a Brasil Santana, de Praia Grande. O veículo levaria uma excursão de volta a Cubatão. A rodovia ficou totalmente interditada desde o momento do acidente e foi liberada por volta das 6h desta segunda-feira (10). A viação Brasil Santana foi procurada, mas não tinha se manifestado até a última atualização desta reportagem. As vítimas foram socorridas e levadas para o Hospital Regional de Taubaté, Santa Casa de Pindamonhangaba e pronto-socorro de Campos do Jordão. Ao todo, 28 das 51 vítimas atendidas em hospitais da região receberam alta médica até as 9h20: Uma das vítimas, que capotou o carro ao menos quatro vezes, disse que viu pelo retrovisor o ônibus desgovernado descendo a serra. "O ônibus veio derrubando os dois carros atrás de mim, tirei o carro para o meio da pista, aí não vi mais nada, capotei umas quatro vezes. O ônibus veio perdido, a toda velocidade, batendo em todos que estavam à frente", disse o professor Alécio Marinho, que é de Campos do Jordão e descia a serra sentido Pindamonhangaba, onde trabalha.

 

Fonte: G1

Missão dos Estados Unidos vai inspecionar frigoríficos do Brasil na próxima semana

Uma missão veterinária dos Estados Unidos estará no Brasil para inspecionar frigoríficos de bovinos e suínos a partir de segunda-feira (10), informou nesta sexta-feira (7) o Ministério da Agricultura. O objetivo do governo brasileiro é retomar as exportações de carne bovina fresca aos americanos, que estão suspensas desde 2017. A auditoria, que vai durar até o dia 28, será realizada em abatedouros de seis estados: São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Ainda serão inspecionados os Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (LFDAs) em São Paulo e Minas Gerais. Os Serviços de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério (SIPOAs) de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e de Goiás também serão fiscalizados. Os roteiros serão cumpridos por duas equipes, de seis veterinários, do Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar dos Estados Unidos (FSIS, na sigla em inglês), órgão que pertence ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o Brasil já cumpriu todas as exigências feitas pelos americanos em relação à qualidade do produto brasileiro e agora está pronto para dar início às exportações de carne bovina in natura. Em junho 2017, os EUA decidiram suspender as compras de carne bovina fresca do Brasil, menos de um ano após abrirem o mercado ao país. Tinham sido necessários 15 anos de negociação para que os produtores brasileiros conseguissem exportar para aquele país. Agora, o serviço de inspeção americano pretende verificar se os produtos brasileiros atendem aos requisitos sanitários daquele país. Na época da suspensão, autoridades dos EUA disseram que carregamentos tinham problemas na carne, como abscessos e tecidos proibidos. Em março deste ano, após negociações com os EUA, a ministra Tereza Cristina disse que as questões burocráticas estavam resolvidas com as autoridades sanitárias americanas.

 

Fonte: G1

Pagina 10 de 11