• Whatsapp:
  • 33. 9.9875-3842

Portuguese English Spanish
  • 1

    1

  • 2

    2

  • 3

    3

Sexta, 02 Setembro 2022 21:58

Fiel é baleado por PM durante briga por política em igreja de Goiânia

O assessor empresarial Davi Augusto de Souza, de 40 anos, foi baleado na perna dentro da Igreja Congregação Cristã no Brasil, em Goiânia, na última quarta-feira (31). Segundo a família, o motivo seria uma discussão política depois que a igreja distribuiu uma circular sobre eleições, que pede aos fiéis para não votarem em candidatos que têm plano de governo a favor da desconstrução das famílias. O cabo da PM Vitor da Silva Lopes, que atirou, disse que foi atacado pela vítima e seus familiares e reagiu. Num dado momento, ele achou que queriam tomar sua arma e, por isso, a sacou e pediu para se afastarem, o que não foi obedecido. Para se defender, ele alega que fez um disparo na perna da vítima para cessar as agressões, sem intenção de matá-la. A igreja publicou uma carta com recomendações em abril deste ano, que foi lida em todas as congregações, segundo o documento. O motorista de aplicativo Daniel Augusto de Souza, de 45 anos, irmão da vítima, contesta a versão do cabo da PM. Ele estava na igreja no momento da discussão. "Meu irmão saiu para beber água e o policial também. Do lado de fora, meu irmão, o policial e outra pessoa começaram um debate sobre quem da igreja apoia ou não o governo, que os membros não deveriam votar na esquerda, como indicaram os líderes", comentou o irmão. O g1 não conseguiu contato com a Igreja Congregação Cristã no Brasil. A reportagem questionou ao Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) se a publicação de recomendações políticas por igrejas é considerada crime eleitoral e aguarda retorno, que apontou que os questionamentos devem ser realizados ao Ministério Público Eleitoral (MPE). O g1 entrou em contato com o órgão às 18h50 desta sexta-feira e aguarda retorno. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) disse que "os fatos narrados por ambas as partes já estão sendo devidamente investigados". A reportagem também questionou à Polícia Civil se vai haver investigação do caso e o motivo de o boletim de ocorrência não ter sido registrado como tentativa de homicídio e aguarda retorno. A Polícia Militar informou em nota, nesta sexta-feira, que o cabo da corporação estava de folga no dia da briga, que aconteceu na última quarta-feira (31), no Bairro Finsocial. "Assim que a Polícia Militar tomou conhecimento do caso, determinou a instauração de procedimento administrativo disciplinar para apurar as circunstâncias do fato. Informamos ainda que o policial militar apresentou de forma espontânea na delegacia de Polícia Civil para os procedimentos cabíveis", diz a nota. Davi Augusto de Souza está internado em Goiânia, passou por cirurgia na perna e segue estável, segundo o irmão dele. Ele relatou também que o culto seguia normalmente enquanto o irmão era atendido por bombeiros no corredor do templo. O boletim de ocorrência foi registrado por lesão corporal culposa, quando não há intenção de machucar a pessoa agredida. No documento, estão apenas as versões dos policiais militares que atenderam a ocorrência. "No local, segundo informações, houve uma discussão entre dois indivíduos e o cabo Vitor da Silva Lopes. Os indivíduos tentaram entrar em luta corporal com o policial, que para se desvencilhar de um deles efetuou um disparo que alvejou a perna do envolvido", relata o documento. Daniel Augusto contou que a briga e o tiro são, na verdade, resultado da entrada da política na igreja, que vem acontecendo há algumas semanas. "O problema foi a entrada da política na igreja, que começou com essa guerra entre quem apoia ou não o governo. Um líder começou a fazer política durante um culto e dizer que os membros não deveriam votar em candidatos de esquerda, que chamou de 'vermelhos'", explicou Daniel. No momento de indicação de votos, o motorista disse que levantou a mão e argumentou que a igreja não é lugar para fazer política. "Nenhum político doa dinheiro para igreja, para que falar de voto, então?", questionou. "A partir daí, virou uma confusão séria. Os líderes se reuniram para avaliar o que ia ser feito com isso e no dia de uma reunião sobre o tema, aconteceu essa discussão e o tiro contra o meu irmão", lamentou Daniel.

 

Fonte:  G1

Sexta, 12 Agosto 2022 09:40

Sete pessoas morrem e outras três ficam feridas em batida entre caminhão e van

Sete pessoas morreram e outras três ficaram feridas em uma batida envolvendo uma van e um caminhão, em Palmeira, na região dos Campos Gerais do Paraná, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O acidente foi registrado no fim da noite de quinta-feira (11). 

A PRF informou que a van bateu contra a traseira do caminhão na BR-376, na pista sentido Curitiba. As causas do acidente estão sendo investigadas.

Com o impacto, seis pessoas morreram no local. Uma das vítimas acabou morrendo no hospital. Os feridos sofreram lesões graves e foram encaminhados para hospitais da região de Curitiba.

A van saiu da região norte do Paraná, segundo a informação do familiar de uma das vítimas. Já o caminhão estava carregado com leite e saiu de Ponta Grossa, com destino a Irati

 

Fonte: G1

Quinta, 11 Agosto 2022 17:48

Igreja Presbiteriana coloca propagandas de armas e de Bolsonaro nas paredes e muros

BRASÍLIA - O Ministério Público do Paraná abriu uma investigação para apurar o uso do muro de uma igreja presbiteriana em Cascavel (PR) para propaganda ilegal de armas e a favor do presidente Jair Bolsonaro (PL). O caso foi revelado pelo Estadão. As peças publicitárias foram colocadas por uma loja de armas vizinha ao templo religioso.

A promotoria paranaense informou, em nota, que serão apurados o suposto crime eleitoral e possível desrespeito à legislação que proíbe publicidade de armas. O Estatuto do Desarmamento só permite em publicações especializadas. 

“O Ministério Público do Paraná, por meio da 12ª Promotoria de Justiça de Cascavel, irá instaurar notícia de fato para apurar o caso - tanto do ponto de vista eleitoral, quanto da proibição de veiculação de propaganda sobre armamentos - e adotar eventuais providências cabíveis”, informou o órgão.

A imagem das peças publicitárias vinha circulando nas redes sociais. Há três quadros de pistolas vendidas pela loja, que fica ao lado da igreja. O muro divide os dois terrenos. Além das armas, o outdoor traz uma foto de Bolsonaro com a frase “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, slogan usado pelo presidente para atrair o público cristão em 2018.  Templo pertence à Igreja Presbiteriana do Brasil, cuja cúpula discutiu recentemente uma proposta para afastar os cristãos da esquerda. O pastor da unidade de Cascavel, reverendo Ednaldo Batista Ribeiro, é apoiador de Jair Bolsonaro. 

Na campanha de 2018, ele fez uma pregação dizendo que “esta praga do PT tem que acabar, em nome de Jesus”. Em abril deste ano, fez uma nova pregação dizendo ter uma mensagem divina para orientar os fiéis sobre como votar nas eleições de 2022. “Se aquele candidato é comunista, ele está contrário à Palavra de Deus”, disse.

Ao Estadão, o líder religioso afirmou que o anúncio foi colocado pela loja de armas Pesca & Cia, que vende armas, munições e artigos esportivos. Ednaldo disse que não concordou com a propaganda, mas não teve o que fazer.

“Fica ruim para a igreja essa propaganda porque alguém que olha pensa que é nosso. Lamentamos, mas não temos o que fazer. Como estamos aqui há muitos anos, não vamos arrumar briga com o vizinho”, disse o pastor. Procurados, os responsáveis pela loja não quiseram se manifestar. 

 

Fonte: MSN

Sexta, 24 Junho 2022 11:19

Incêndio em centro de tratamento deixa 11 mortos em Carazinho

Um incêndio de grandes proporções no Centro de Tratamento e Apoio a Dependentes Químicos (Cetrat) em Carazinho, no Norte do Rio Grande do Sul, deixou pelo menos 11 pessoas mortas, na noite de quinta-feira (23). Dez delas morreram no local e uma no hospital. Todos eram homens. O fogo começou por volta de 23h. Duas pessoas foram levadas para atendimento médico, uma delas está em estado grave e uma estável. Outras duas conseguiram sair do local sem ferimentos. A informação inicial é de que, no Centro, estavam pelo menos 15 pessoas. Nenhuma hipótese sobre o início do fogo é descartada, segundo os Bombeiros. De acordo com a corporação, o combate ao fogo começou no final da noite, e bombeiros seguem no local. O Centro fica no bairro Vila Rica. Algumas das vítimas, conforme informações dos bombeiros, foram encontradas em uma área de dormitórios e próximas às janelas, o que pode indicar que elas tentavam sair do local. A parte consumida pelo fogo era de madeira. Ainda segundo os Bombeiros as janelas não tinham grades mas eram pequenas, por onde uma pessoa não conseguia passar. Ainda não há confirmação sobre a identidade dos mortos e as causas do incêndio. O caso está sendo investigado. O prefeito de Carazinho, Milton Schmitz , decretou luto oficial no município por três dias, em respeito às vítimas e seus familiares. "Carazinho vive um luto coletivo neste momento triste em que a tragédia se abate sobre famílias das vítimas", disse, em nota.

 

Fonte: G1

Quarta, 22 Junho 2022 10:46

Amado Batista se retrata após chamar Lula e seu filho de ladrões

O cantor Amado Batista se retratou publicamente após dizer que o ex-presidente Lula e seu filho, Fábio Luís Lula da Silva - o Lulinha - "roubaram pra caramba" durante os governos petistas. De acordo com a coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, o pedido de desculpas foi parte de um acordo judicial feito no Tribunal de Justiça de Pernambuco. A fala de Batista ocorreu no ano passado durante uma entrevista para a Rede Nordeste de Rádio. "Além de ter roubado pra caramba. Existem pessoas que eram pobres antes do comunismo aqui, antes da esquerda, e que estão milionários hoje", afirmou ao mencionar o líder petista e sua família. O cantor ainda se referiu à Lulinha como um latifundiário, e que bastava ir para o Pará e Mato Grosso para comprovar. "Ao vivo e a cores", disse. No pedido de desculpas, Amado Batista diz que suas afirmações foram baseadas em "meros boatos". "Apesar de ter dito que Fábio Luís Lula da Silva seria latifundiário e dono de cabeças de gado no Mato Grosso e no Pará, reconheço que essa Informação chegou ao meu conhecimento a partir de meros boatos irresponsavelmente difundidos na sociedade", diz. O acordo fez com que a punição por injúria fosse extinta. Além disso, o Ministério Público também arquivou a ação. Em outra etapa do processo, Lulinha pede que a retratação seja publicada no site e no canal do YouTube do programa da rádio, onde as falas do cantor foram feitas.

 

Veja a íntegra do pedido de desculpas:

"Eu, AMADO RODRIGUES BATISTA, cantor e empresário, venho, publicamente, RETRATAR-ME de ofensas e expressões iniustamente proferidas contra FÁBIO LUIS LULA DA SILVA em entrevista concedida ao jornalista Magno Martins no dia 28 de maio de 2021, publicada na rede social YouTube e com repercussão em diversos veículos de comunicação.

PEÇO DESCULPAS a FÁBIO LUÍS LULA DA SILVA pela forma injusta com que lhe atribuí graves ofensas, bem como admito que foram equivocadas minhas afirmações de que teria enriquecido de forma ilícita.

Apesar de ter dito que FÁBIO LUÍS LULA DA SILVA seria latifundiário e dono de cabeças de gado no Mato Grosso e no Pará, RECONHEÇO que essa informação chegou ao meu conhecimento a partir de meros boatos irresponsavelmente difundidos na sociedade.

 

Fonte: Portal Terra

Quarta, 22 Junho 2022 10:32

PF prende ex-ministro da Educação Milton Ribeiro

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira (22) o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro. Ele é investigado por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência por suposto envolvimento em um esquema para liberação de verbas do MEC. A TV Globo apurou que os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura também são alvos da operação deflagrada pela PF nesta quarta. Eles são investigados por atuar informalmente junto a prefeitos para a liberação de recursos do Ministério da Educação. Em áudio divulgado em março, Ribeiro afirma que o presidente Jair Bolsonaro pediu a ele que os municípios indicados pelos dois pastores recebessem prioridade na liberação de recursos. Prefeitos disseram em depoimento que eles exigiram propina. Uma fonte da PF em São Paulo disse à TV Tribuna que Milton Ribeiro foi preso em Santos e que ele deve ser levado para Brasília. Segundo o porteiro do prédio em que ele mora, o ex-ministro foi levado por volta das 7h. Até a última atualização desta reportagem ainda não havia confirmação da prisão dos pastores Santos e Moura. A PF investiga Ribeiro por suposto favorecimento aos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura e a atuação informal deles na liberação de recursos do ministério. Há suspeita de cobrança de propina. O inquérito foi aberto após o jornal "O Estado de S. Paulo" revelar, em março, a existência de um "gabinete paralelo" dentro do MEC controlado pelos pastores. Dias depois, o jornal "Folha de S.Paulo" divulgou um áudio de uma reunião em que Ribeiro afirmou que, a pedido de Bolsonaro, repassava verbas para municípios indicados pelo pastor Gilmar Silva. "Foi um pedido especial que o presidente da República fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar", disse o ministro no áudio. "Porque a minha prioridade é atender primeiro os municípios que mais precisam e, segundo, atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar", complementou Ribeiro. Após a revelação do áudio, Ribeiro deixou o comando do Ministério da Educação. Em depoimento à PF no final de março, Ribeiro confirmou que recebeu o pastor Gilmar à pedido o presidente Jair Bolsonaro. No entanto, ele negou que tenha ocorrido qualquer tipo favorecimento. Registros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) apontam dezenas de acessos dos dois pastores a gabinetes do Palácio do Planalto. Em vídeo, o presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer que botava "a cara no fogo" por Ribeiro e que as denúncias contra o ex-ministro eram "covardia". Já nesta quarta, questionado sobre a prisão do ex-ministro pela PF, Bolsonaro afirmou que Ribeiro é quem deve responder por eventuais irregularidades à frente do MEC. "Ele responde pelos atos dele", afirmou Bolsonaro em entrevista à rádio Itatiaia. O presidente disse ainda que "se a PF prendeu, tem motivo." O caso envolve suspeitas de corrupção. Prefeitos denunciaram pedidos de propina – em dinheiro e em ouro – em troca da liberação de recursos para os municípios. Milton Ribeiro disse que pediu apuração dessas denúncia à Controladoria-Geral da União.

 

Fonte: G1

Pagina 7 de 17